image/svg+xml image/svg+xml

Cachorro pode comer chocolate?

cachorro-boston-terrier

Quem não adora comer um chocolate, né? Seja ao leite, amargo, com castanhas, avelã… Mas, quando o cão vê você com aquele pedaço e te olha com aquela cara de fome, você deve se perguntar: cachorro pode comer chocolate? A resposta é… não. Saiba que, além de incentivar o cachorro a ficar pedindo tudo o que você come, ceder um pedaço do chocolate pode prejudicar muito a saúde do seu animal. Entenda o porquê.

Cachorro pode comer chocolate?

Muitos alimentos que nós ingerimos podem fazer mal ao peludo. Diarreia, vômitos, alergias, obesidade e até intoxicação são algumas das consequências de oferecer comidas fora da dieta do cachorro. Por isso, antes de dar qualquer coisa ao pet, procure saber se fará bem ou mal a ele.

Então, cachorro pode comer chocolate? A resposta é não. O chocolate é altamente tóxico para os cães devido a duas substâncias: a teobromina e a cafeína. E qualquer quantidade de chocolate pode levar o cão à morte! A intoxicação por chocolate em cachorros está entre os tipos de envenenamentos mais comuns na clínica de pequenos animais.

Por que comer chocolate faz mal aos cães

O chocolate é feito com amêndoas fermentadas e torradas provenientes do cacau. Para os humanos, essas substâncias são digeridas de forma segura pelo organismo. Já para os animais, há uma dificuldade de metabolização, que é a transformação que as substâncias químicas sofrem desde a sua ingestão até a digestão.

As responsáveis por isso são as metilxantinas, que estão presentes no chocolate, no café e no chá, por exemplo. Essas substâncias podem ser perigosas para os cães pois são facilmente absorvidas pelo estômago e intestino e distribuídas por todo o corpo, com efeitos nocivos ao sistema nervoso central e ao coração. Então nada de achar que cachorro pode comer chocolate, ein?!

Comer pouco chocolate também faz mal ao cachorro?

Sim. A dose tóxica para cães está entre 100 a 150 mg de chocolate por quilo (peso do animal). Mesmo um chocolate pequeno poderá ser o suficiente para intoxicar o cão. No entanto, os cães de pequeno porte são os mais afetados, pois uma menor quantidade de chocolate poderá causar sintomas devido ao baixo peso corporal que possuem. A dose considerada letal é de 250 a 500mg/kg.

Outra questão importante é que os chocolates podem ter maior ou menor teor de teobromina. Quanto mais escuro for o chocolate, maior será o risco de intoxicação. Assim, os mais perigosos são os chocolates amargos. E a teobromina ainda pode permanecer no organismo por seis dias. Por isso, cães que comem chocolate de pouco em pouco podem acabar sendo intoxicados ao longo de dias.

Quais são os sinais de cachorro intoxicado por chocolate?

Os sintomas de intoxicação depois de o cachorro comer chocolate podem variar, mas entre os mais comuns estão hiperatividade e excitação, respiração ofegante, batimentos cardíacos acelerados ou arrítmicos, tremores musculares, convulsões, febre, vômitos, diarreia, movimentos incoordenados, hemorragia intestinal, coma e até morte.

Os sintomas podem começar de 6 a 12 horas após a ingestão do chocolate. Por isso, é preciso que o cachorro fique em observação constante. Como o cachorro não pode comer chocolate, procure ajuda veterinária se isso acontecer.

Meu cachorro comeu chocolate por acidente. E agora?

Se você ofereceu o doce sem saber se cachorro pode comer chocolate, o ideal é procurar orientação veterinária o mais rápido possível. E, se souber, informe o profissional sobre a quantidade ingerida e o tipo de chocolate, para que ele possa saber o que esperar dos sintomas.

Não existe um antídoto para a intoxicação por chocolates em cachorro. O que o veterinário irá fazer é lidar com os sintomas apresentados pelo pet, sempre buscando estabilizar o quadro do animal e reduzir o risco de complicações.

Para o tratamento de suporte, que busca eliminar os sintomas, pode ser administrado o carvão ativado para diminuir a absorção das substâncias tóxicas pelo pet. Induzir ao vômito também pode ajudar. Outra conduta a ser tomada depois que o cachorro comer chocolate é a lavagem gástrica, com o objetivo de evitar que o doce fique grudado na mucosa do estômago. Isso geralmente é feito quando não for possível a indução do vômito (após três horas de ingestão do chocolate).

Também será recomendada a fluidoterapia para minimizar os efeitos tóxicos do chocolate e hidratar o paciente, a monitoração da pressão arterial e a realização do eletrocardiograma. Ainda podem ser recomendados medicamentos para o controle de convulsão e de arritmias.

Opções seguras e saudáveis

No mercado pet estão disponíveis diversos chocolates feitos especialmente para os peludos. Esses produtos não são tóxicos para os cães, pois são feitos com a alfarroba e não têm adição de teobromina ou cafeína. A alfarroba é um fruto rico em vitaminas (A e do Complexo B) e minerais (cálcio, fósforo, ferro, potássio, magnésio) e pode ser oferecida ao pet sem exageros!

Outra alternativa é oferecer frutas que o cachorro possa comer. Elas são doces e vão agradar o paladar do animal sem causar qualquer risco. A banana, por exemplo, é uma boa opção (sempre com moderação para evitar a obesidade).

O que não oferecer aos cães

Assim como o chocolate, outras substâncias que consumimos no nosso dia a dia podem causar distúrbios ou serem tóxicas para os animais. Confira algumas abaixo e, caso tenha dúvidas, procure a orientação do médico veterinário.

– Batata: a batata crua não deve ser oferecida por causa da solanina (presente principalmente na casca) que pode provocar vômitos e diarreia. A toxicidade, no entanto, não ocorre quando o alimento é cozido.

– Café: possui teobromina que, como explicamos, é uma substância tóxica. Pode causar diarreia, vômito, falta de ar, arritmia cardíaca, tremores, convulsões e até a morte.

– Cebola: o problema desse alimento é que prejudica o transporte de oxigênio para os tecidos do organismo. Entre os sinais estão dificuldade respiratória, apatia e até a morte.

– Macadâmia: pode causar fraqueza muscular, paralisia, vômitos e diarreia.

– Uvas: sua semente contém substâncias que podem causar falência renal.

Gostou? Compartilhe!

Busca passeadores ou anfitriões que hospedam cachorrinhos? Conheça a DogHero!