Cachorro ofegante: o que fazer?

Quando vemos cachorro um cachorro ofegante, não tem como não chamar a nossa atenção. Ele fica com a boca aberta e faz movimentos com todo o corpo, com uma respiração bem rápida. A respiração ofegante pode vir acompanhada de tosse, cansaço e língua roxa. Pode assustar muito ver um cachorro com respiração ofegante, né?

Esse sintoma pode indicar cansaço físico (após exercício pesado, por exemplo) ou estar associado a doenças ou estados emocionais. Por isso, é importante que você observe bem em qual situação o seu cachorro fica ofegante para poder relatar ao veterinário.

É mais comum ver o cachorro com respiração ofegante quando ele pertence a algumas raças, as chamadas braquicefálicas, que estão mais sujeitas a ocorrência da falta de ar. Pug, lhasa apso, shih tzu, pequinês, buldogue inglês e boxer têm maior dificuldade para respirar devido à formação anatômica do focinho, que é bem curto e parece até achatado.

Quando se preocupar ao ver o cachorro ofegante

É sempre importante observar um cachorro ofegante. Isso porque, além de ser bem aflitivo ver o peludo nessa situação, ele pode precisar da sua ajuda ou do socorro de um veterinário. Por isso, fique atento e aja rápido para ajudar o peludo.

Como identificar a falta de ar

O cachorro com respiração ofegante, ou falta de ar, fica com a língua para fora e o pescoço bem esticado. Ele pode tossir também. Ao notar que seu cão está com falta de ar, deixe o peludo o mais confortável possível. Não faça movimentos bruscos e não se desespere, pois isso poderá deixar o pet ansioso e piorar ainda mais a situação.

Veja se a língua está arroxeada

A língua do cachorro ofegante estar arroxeada pode ser indício de que ele está cianótico (com falta de oxigenação adequada no sangue e, consequentemente, nos tecidos). Se ele apresentar esse sintoma, leve-o o mais rápido possível ao veterinário, pois será necessária a suplementação com oxigênio e o uso de medicamentos para estabilizar a situação. Desmaios ou perda de consciência (mesmo que temporária) do pet também são sinais de emergência!

Agora, se o cachorro com respiração ofegante ficar assim após exercício ou em uma situação que o deixe vulnerável emocionalmente, você deverá observá-lo com atenção, deixando ele o mais confortável possível durante a crise. No entanto, é importante já marcar uma consulta com o veterinário para que possa ser diagnosticado o problema e realizado tratamento, a fim de evitar que essa situação se repita.

Causas de respiração ofegante em cachorro

Uma vez identificado que o pet tem falta de ar, ou ao ver com cachorro com respiração ofegante, temos que tentar saber o que está acontecendo com ele. O cachorro ofegante pode estar sofrendo por variadas causas – desde problemas emocionais até doenças que requerem tratamento rápido.

Somente um médico veterinário poderá realizar os exames e a avaliação necessários para entender o que está acontecendo com o peludo. No entanto, listamos algumas possibilidades para você ficar por dentro:

– Calor: os cães não conseguem suar para manter a temperatura do corpo estável. Os peludos só trocam calor por meio da respiração. Por isso, em dias mais quentes ou após exercícios, os cães podem ficar bem ofegantes.

– Dor: você sabia que a respiração ofegante do cão pode ser um sinal de que ele está sentindo dor? Se seu cão ficar ofegante de repente, fique alerta e procure outros sinais que podem indicar que ele está com dor como sensibilidade ao toque, falta de apetite, etc.

– Problemas cardíacos: muitas doenças associadas ao coração podem levar o cão a ficar ofegante. Geralmente, essas enfermidades são mais frequentes em animais mais velhos, o que não impede que um cão jovem tenha um problema cardíaco. Um dos sinais que pode indicar alteração no coração é a intolerância ao exercício. Isso quando um pet costumava caminhar e gostar de passear e passa a ficar muito cansado e ofegante nessas situações.

– Problemas respiratórios: como não poderia deixar de ser, os problemas respiratórios também são causadores da respiração ofegante. Bronquite, asma e pneumonia são algumas das enfermidades. As doenças respiratórias podem vir acompanhadas de espirro, tosse, corrimento nasal, sibilo (chiado ao respirar), febre e perda de apetite. Fique atento para esse quadro não evoluir para um problema mais grave.

– Colapso de traqueia: é um problema comum em alguns pets de pequeno porte já adultos. Trata-se da redução do diâmetro da traqueia que interfere no fluxo de ar, devido à degeneração dos anéis que compõem a traqueia.

– Fobia, medo e ansiedade: os cães podem ter respiração ofegante diante de situações que os deixem com medo ou ansiosos. Esse comportamento também pode incluir tremores, andar de um lado para o outro, latidos em excesso e outros.

O que evitar quando o cachorro está com respiração ofegante

Algumas situações devem ser evitadas ao ver o cachorro ofegante:

– Não deixe o cão realizar esforços, como pular e correr;

– Não incentive que ele fique excitado;

– Evite tomar atitudes que o deixem estressado;

– Não tente medicar o pet por conta própria. Isso poderá piorar ainda mais a situação. Procure já o veterinário!

Outros cuidados com o cachorro ofegante

Quando a causa do cachorro com respiração ofegante for diagnosticada pelo veterinário e o pet estiver sendo tratado, você deverá manter outros alguns cuidados:

– Não incentive que o animal fique muito agitado;

– Passeios devem ser feitos com moderação. Por isso, peça orientação ao veterinário antes de sair por aí com o peludo. Se o médico liberar, evite os horários mais quentes do dia. O ideal é que sejam feitas caminhadas leves em horários mais frescos, como à noite ou logo cedo;

– Nunca abandone o tratamento indicado pelo veterinário. Se o pet estiver usando algum medicamento, você deve seguir o tratamento até o fim. Qualquer dificuldade para isso, procure o veterinário para conversar.

As dicas foram úteis? Tem um cão braquicefálico, com dificuldade de respirar? Veja outras dicas para cuidar deles, como a limpeza do focinho.