image/svg+xml image/svg+xml

Como acostumar gato e cachorro juntos

Gato e cachorro

Toda vez que alguém pensa em ter um convivendo com o outro, sempre vem uma questão à cabeça: como acostumar gato e cachorro juntos? Sabe aquelas histórias de amor mal resolvidas? Acontece a mesma coisa na relação entre cães e gatos. A famosa expressão “brigando como cão e gato” parte de um preconceito bastante comum. A verdade é que eles podem sim conviver pacificamente no mesmo ambiente, mas é claro que alguns cuidados devem ser tomados para que esta relação não seja fadada ao fracasso.

Como em todo relacionamento, gato e cachorro precisam se respeitar para que o convívio dê certo. Cães costumam ser brincalhões e são fortes por natureza; os gatos são observadores e calculistas com relação aos seus movimentos. Esses comportamentos coabitando merecem, sem sombra de dúvida, um olhar atento do tutor – pelo menos no começo. Assim, com o tempo, cães e gatos podem se tornar melhores amigos.

Por que gato e cachorro não se dão bem?

Tanto o gato quanto o cachorro podem ter se estranhado e isso tem algumas razões. Pode ser que tenham crescido separadamente, ambos com seus iguais, e quando se aproximaram, houve então um conflito quase que natural. Cães mais robustos possuem um comportamento de caça a animais pequenos. Assim, basta que um gato dê as caras para que a “brincadeira” se inicie.

O que mais se percebe é que há uma perseguição maior por parte do cachorro ao gato. Isso não exclui os casos em que gatos perseguem assiduamente cachorros. Mas, pelo tamanho e agressividade que podem assumir numa disputa, os cães, logo de cara, assumem a liderança nesse quesito. E, embora muitos digam que é normal eles se estranharem para sempre, basta observar como os próprios cachorros estranham outros cachorros, assim como gatos estranham outros gatos, quando dividem o mesmo espaço. A questão não é simplesmente o instinto de caça, mas também o instinto de liderança.

Dotados de comportamentos distintos e com muita originalidade, gato e cachorro são donos de seus espaços, e não é à toa que os demarcam para evitar confusões com outros animais. Há uma necessidade em ambas as espécies de liderar o ambiente e terem para si toda a atenção de seu tutor. É importante que aprendam a dividir não só o território, como o amor da família, para que uma amizade possa se estabelecer a partir daí.

É possível acostumar gato e cachorro juntos?

Tanto é possível como existe gato e cachorro que são melhores amigos! Basta ver gatos que fazem de seus amigos cães verdadeiros colchões para soneca, por exemplo. Então, para fazer com que se acostumem um com outro, o ideal é ter primeiro em mente como será esta aproximação.

O trabalho de aproximação deve começar pelo próprio tutor. Se você quer que ambos não se agridam, pare desde já de achar ou mesmo estimular o conflito entre as duas espécies. Eles agem por instinto sim, mas nós também contribuímos (mesmo que sem querer) para que este comportamento agressivo seja perpetuado. Logo, o ideal é incentivar a união e, claro, a amizade.

Por fim, basta tomar certos cuidados se os dois bichinhos nunca se viram ou não conviveram antes. Não há como saber se vão se estranhar ou não devido. Assim, treine também a sua percepção e siga aos poucos no caminho da conciliação dos seus pets (e veja algumas dicas abaixo!).

Dicas para acostumar gato e cachorro juntos

Se você está a fim de adotar e criar no mesmo ambiente gato e cachorro, o ideal é que sejam filhotes. Por quê? Porque o convívio desde pequenos evita que se estranhem. A água, casinhas e caminhas para dormir, o colo do tutor e possivelmente os brinquedos acabam sendo compartilhados, ainda que cada um tenha seus próprios objetos. Coloque os dois filhotes no mesmo ambiente e trate-os da mesma forma. Eles certamente aprenderão a não se estranhar.

Mas, se ambos forem adultos que cresceram em ambientes separados, a saída é ter paciência e agir de maneira metódica. Você deve preparar o terreno para que essa amizade aconteça e dê frutos. Veja como:

  • Se o cachorro ameaçar atacar o gato assim que o vir, coloque-o na coleira e dê algo a ele que possa entretê-lo. Isso ajuda a desviar a atenção do gato. Depois disso, solte o gato e deixe-o andar numa distância segura com relação à do cão. Se a agressividade canina persistir, dê umas puxadas na coleira, a fim de sinalizar ao animal que ele não deve latir ou atacar o gato;
  • Ao observar que o cachorro obedece às puxadas de coleira, dê uma recompensa a ele (um petisco ou frases de incentivo, como “bom garoto”). Veja, gradativamente, como a aproximação do gato vai se delineando a partir da tomada de percepção do cão. A intenção aqui é fazer com que a presença de um não interfira no estado de humor do outro;

Vá soltando a coleira aos poucos e deixando que o gato e cachorro se cheirem. Esse momento do processo é essencial para o primeiro sinal de convívio. Mas fique sempre atento! Os pets possuem instinto e podem se estranhar mesmo durante este passo a passo.

Gostou do artigo? Então conheça mais sobre adestramento de cães, que pode ajudar seu pet a conviver melhor com o amigo gato!

Gostou? Compartilhe!

Busca passeadores ou anfitriões que hospedam cachorrinhos? Conheça a DogHero!