Quando se adota um pet, uma das maiores preocupações é como treinar um cachorro. Atualmente existe uma série de técnicas de adestramento para cães. São métodos para modelar o comportamento do animal para que ele reaja de uma certa maneira aos comandos ensinados. Conheça um pouco mais sobre cada um deles!

História dos métodos de como treinar um cachorro

Vamos saber um pouco mais sobre como treinar um cachorro a partir de cada um desses métodos a seguir. Mas, primeiro, um pouco de história.

Condicionamento Clássico de Pavlov

O primeiro estudo sobre condicionamento com cães foi conduzido pelo fisiologista russo Ivan Pavlov, por volta de 1904. Em sua pesquisa, ele se deparou com uma descoberta que, até hoje, é estudada na psicologia. O experimento consistia em apresentar itens comestíveis e não comestíveis para cães e verificar sua produção de saliva. Com o tempo, Pavlov percebeu que a produção de saliva passou a ser condicionada. Ou seja, os cães começavam a salivar não pelo contato com o item comestível, mas com a entrada dos assistentes na sala (o que já indicava que receberiam as gostosuras).

Pavlov então começou a investigar como esse reflexo condicionado poderia ser reproduzido. Passou a introduzir o som de um sino sempre que a comida fosse colocada a frente dos cachorros. Aos poucos, os cachorros começaram a salivar ao ouvir o sino (resposta condicionada).

Condicionamento operante de Skinner

Muito popular entre mães e pais de cachorro atualmente, o adestramento positivo é um treinamento de reforço razoavelmente fácil de ser aplicado pelo próprio tutor: consiste em recompensar comportamentos desejados do pet.

O adestramento positivo surgiu a partir do estudo sobre condicionamento operante do psicólogo norte-americano B.F. Skinner. No experimento, ele demonstra como condicionar uma resposta associativa. Para tanto, Skinner colocou ratos em uma caixa elaborada com uma alavanca que, quando apertada, liberava comida.

Ele notou que os ratos apertavam o botão sempre que queriam saciar sua fome, gerando o reflexo condicionado. Como conclusão, o estudo de Skinner identificou que comportamentos reforçados (e recompensados) tendem a ser repetidos.

Métodos para aprender como treinar um cachorro

A diferença entre o condicionamento pavloviano e o de Skinner está no fato do primeiro ser uma resposta a um estímulo externo (comida oferecida), enquanto no segundo, o ambiente é modificado, produzindo consequências sobre ele (ao apertar a alavanca, o rato recebe a recompensa – a comida).

Mas foram as técnicas de reforço de Skinner que passaram a ser usadas largamente no adestramento de cães. Começaram a se destacar os métodos de reforço positivo e negativo e punição positiva e negativa entre as formas de como treinar um cachorro. Veja a definição de cada um deles a seguir.

Reforço positivo

O reforço positivo consiste em recompensar o cachorro quando ele faz algo da maneira correta. Por exemplo, se você der um petisco e carinho e atenção para o seu pet quando ele fizer xixi no lugar correto, ele tende a repetir o comportamento. Ou seja, ele passará a fazer xixi onde deve. É a forma mais natural e recomendada de treinar um cachorro.

Reforço negativo

O objetivo do reforço negativo é remover um estímulo do cachorro, fazendo com que ele entenda que o comportamento é errado. Se durante o passeio ele começar a andar à sua frente e puxar a guia, uma forma de adotar o reforço negativo é segurar a coleira ou parar de caminhar. Só volte a andar depois que ele se acalmar. Isso faz com que o cão associe o comportamento a uma consequência incômoda para ele. A partir daí, espera-se que ele passe a fazer o que o tutor pede.

Punição positiva

Esse tipo de treinamento não é recomendado. Com a punição positiva, o objetivo é adicionar um componente incômodo para reduzir um determinado comportamento. Exemplos de uso de punição positiva incluem borrifar algo no focinho, usar buzinas quando o cachorro late, usar coleiras antilatido, entre outros.

Punição negativa

O objetivo da punição negativa é coibir um determinado comportamento. Algo bom ou desejado é retirado para reduzir a ocorrência de um comportamento específico. Um exemplo: quando o tutor chega em casa, o cachorro late. Para coibir esse comportamento, o tutor poderia ir embora. Ou seja, neste caso se retira o estímulo que deixa o cachorro feliz para indicar que a reação dele não é desejável.

Como escolher como treinar um cachorro?

Segundo especialistas, a melhor forma de aprender como treinar um cachorro é através do adestramento positivo, também conhecido como reforço positivo, treinamento de clicker e treinamento com recompensa. Ele consiste em usar marcadores para indicar para o cachorro que um determinado comportamento é correto.

Esses marcadores são as recompensas. A recompensa pode ser um petisco ou frases de incentivo, como “bom garoto” ou “muito bem”. Além disso, considere o ambiente em que vai treinar o cachorro. Se o local tiver muitos elementos de distração, recomenda-se usar aquele petisco que o cachorro gosta muito. Já dentro de casa, onde a distração é menor, é possível usar petiscos menos atraentes, como a própria ração do dia a dia.

O importante aqui é lembrar que para reforçar comportamentos desejáveis você precisar prestar bastante atenção no seu pet. Isso porque ele precisa associar a recompensa àquilo que ele fez corretamente. Se você quer que ele faça xixi em algum lugar específico, precisa vigiar o cachorro e fazer festa ou dar o petisco para ele assim que ele terminar de fazer o xixi. Não faça isso durante, ou ele pode se interromper e ficar irritado.

E lembre-se, nunca é recomendável punir o cachorro. Isso pode causar traumas, gerando agressividade e ansiedade.

Gostou das dicas para treinar um cachorro? Então não deixe de ver opções de petiscos saudáveis para usar nos treinos!