GUIA RÁPIDO

TIPO DE DOENÇA

Viral

PRINCIPAIS SINTOMAS DA PARVOVIROSE

Febre, letargia, vômito, diarreia, recusa de comida, hipotermia, taquicardia, desidratação, perda de peso, depressão

TRATAMENTO PARA PARVOVIROSE

É possível tratar e curar a doença com medicamentos

COMO PREVENIR

Vacinar corretamente o cachorro e evitar o contato com cachorros doentes e objetos infectados

O que é parvovirose?

A parvovirose é uma doença gastrointestinal grave causada por um vírus extremamente contagioso e potencialmente mortal quando não recebe o tratamento adequado. O contágio do parvovírus ocorre através do contato com cachorros, fezes ou vômito infectados. E isso torna fundamental a quarentena e os cuidados com os cachorros doentes, tanto para o seu próprio bem, como para evitar que esses agentes se espalhem.

O contágio acontece principalmente entre filhotes e cachorros jovens por terem ainda a saúde e a imunidade baixa ou por não terem recebido ainda todas as vacinas. Cachorros adultos não vacinados também estão mais propensos a serem contaminados.

Ao infectar o animal, a parvovirose canina causa dificuldades severas em todo o sistema digestivo e intestinal, provocando vômitos, diarreia, febre, letargia e outros sintomas (leia abaixo). Se não tratada prontamente, a ação viral pode trazer consequências mais perigosas e fatais.

Quais são os sintomas da parvovirose?

A parvovirose canina requer cuidado e atenção, tanto por ser uma doença grave e de progressão rápida, como pelo seu alto risco de contágio e propagação. Fique atento aos sintomas mais comuns:

A presença de um sintoma de parvovirose já serve de alerta para o tutor encaminhar rapidamente seu cachorro ao veterinário. E ainda que não seja o vírus, são sinais sérios e que podem ser indícios de outro problema.

Transmissão e causas da parvovirose

A parvovirose é causada pelo parvovírus, um vírus muito resistente e capaz de provocar graves complicações gastrointestinais no cachorro. Em lugares internos e temperatura ambiente, o parvovírus pode sobreviver por cerca de dois meses e resistir a produtos de limpeza e desinfetantes. Ao ar livre, pode viver por anos, se estiver protegido da luz solar direta.

Essa resistência potencializa a capacidade de contaminação, que pode acontecer de duas formas. A primeira é através do contato direto com o vírus por meio da boca ou do nariz, ao lamber ou cheirar um animal infectado, suas fezes ou vômito. Como os cães exploram o mundo através do faro, a curiosidade se torna a grande arma para o contágio da parvovirose canina.

A outra forma de transmissão é indireta. Ou seja, quando o cachorro tem contato com um local, objeto ou pessoa contaminada. Isso porque o vírus pode estar presente na roupa, nos sapatos e até mesmo na pele humana. Se o tutor pisar em uma área infectada pode carregar o vírus para dentro de casa e infectar o seu filhote.

Diagnóstico e tratamento para parvovirose

A parvovirose canina é uma doença grave e potencialmente fatal. Portanto, se o seu cachorro apresentar sintomas do parvovírus, leve-lo ao veterinário imediatamente. Quanto mais cedo a doença for diagnosticada, mais chances de sucesso do tratamento.

O especialista vai examinar o seu cachorro e provavelmente vai recomendar a hospitalização do animal em ala de isolamento, onde será monitorado e receberá todos os cuidados e suporte necessários.

Como a parvovirose canina reduz os glóbulos brancos do cachorro, o organismo diminui consideravelmente a sua capacidade de combater a infecção, além de ficar suscetível a outras doenças. O veterinário vai analisar a gravidade da situação para prescrever as medicações corretas e outros processos que auxiliem na recuperação do animal.

Como prevenir a parvovirose

A prevenção é sempre o melhor caminho, ainda mais quando se trata de uma doença grave como a parvovirose. Por isso, pequenos cuidados ajudam a proteger o seu cachorro e evitar problemas graves e fatais. Saiba como prevenir:

– Vacina: a aplicação dessa vacina geralmente ocorre em 3 doses, em filhotes de 6 a 8 semanas, posteriormente com 10 a 12 semanas e por fim, quando estiver com idade entre 14 e 16 semanas. A administração deve continuar ao completar um ano e depois disso, receber uma dose a cada 3 anos.

– Contato: evite que o seu cachorro tenha contato com animais e materiais infectados e seja exposto ao mesmo ambiente em que vive ou viveu um animal contaminado. Isso é mais sério ainda se não o cachorro estiver vacinado ou apenas parcialmente imunizado.

– Filhotes: antes de concluir a vacinação, não é recomendado levar seu filhote a locais abertos, pois isso aumenta o risco de contrair não só a parvovirose, como também outras doenças.

– Limpeza: limpe o ambiente em que o cachorro vive com água sanitária, um dos poucos produtos que mata o resistente parvovírus.

Gostou do artigo? Confira também quais são as plantas tóxicas para animais e proteja seu cachorro.