GUIA RÁPIDO

TIPO DE DOENÇA

Infecção viral

PRINCIPAIS SINTOMAS DA GRIPE CANINA

Tosse, espirro, secreção nasal, letargia, febre, perda de apetite, dificuldade para respirar e respiração rápida

TRATAMENTO PARA GRIPE CANINA E CURA

É possível curar com tratamento de apoio dos sintomas para a recuperação do animal

COMO PREVENIR

Evitar locais com aglomeração de cães, onde há risco de contaminação

O que é gripe canina?

É preciso estabelecer a diferença entre gripe canina e traqueobronquite infecciosa canina, também conhecida por muitas pessoas como gripe canina ou tosse dos canis. Enquanto a gripe canina é causada pelo vírus influenza A, a traqueobronquite infecciosa canina é fruto da infecção por parainfluenza, bordetella e adenovirus.

Pode parecer estranho, mas cachorros ficam gripados. A gripe canina é uma doença respiratória infecciosa causada pelo vírus influenza A. Esse vírus é proveniente do mesmo gênero que adoece os humanos, porém com subtipos que atacam somente os animais.

O primeiro subtipo identificado é o H3N8, originado inicialmente em cavalos. Após sofrer mutações, esse vírus se espalhou e conseguiu se alojar em cachorros, causando um surto de gripe canina nos EUA em 2004. Mais recentemente, em 2015, foi descoberto o H3N2. Cientistas acreditam que este surgiu na Ásia, saltando dos pássaros aos cães.

Embora seja uma doença contagiosa, a infecção por gripe canina é, em geral, leve. Em apenas cerca de 1 a 4% dos casos é fatal, normalmente ao estar associada a filhotes, cachorros idosos ou com baixa imunidade (imunodeprimidos). Mas é claro que, como toda doença, requer cuidados e causa desconforto tanto para o pet quanto para o tutor.

Quais são os sintomas da gripe canina?

Alguns sintomas da gripe canina são bem semelhantes aos dos humanos. E nós sabemos que ficar gripado é bem incômodo. Por isso, o quanto antes for identificada a presença do vírus, mais rápido será feito o tratamento. Então fique atento aos seguintes indícios:

  • Tosse
  • Espirros
  • Secreção nasal (coriza)
  • Olhos lacrimejantes
  • Febre
  • Letargia
  • Perda de apetite
  • Dificuldade de respirar
  • Respiração rápida (em geral curta e com ruídos, devido à secreção)

Em geral, a maioria dos casos de gripe canina é leve. Mas isso não descarta a ida ao veterinário para tratamento. Além de ser bastante desconfortável, a presença do vírus no organismo de seu cachorro pode causar outras infecções ou piorar as existentes. Nos casos mais graves da doença, embora raros e com baixa taxa de fatalidade, o cachorro pode apresentar também:

  • Pneumonia
  • Febre acima de 40 graus
  • Extrema letargia

Transmissão e causas da gripe canina

A gripe canina é causada pelos vírus H3N8 e H3N2, provenientes da Influenza A. Mas apesar da semelhança com a gripe dos humanos, esses agentes atacam somente os cachorros. Basta o seu pet ter contato com um cachorro doente ou simplesmente aspirar o vírus pelo ar para ficar gripado.

A doença é contagiosa e pode ser facilmente espalhada por meio de fluidos corporais de um cachorro infectado. Tosse, espirro e até mesmo o latido liberam o vírus para o ambiente, deixando-o à espera de um novo hospedeiro. O contágio ocorre ainda pelo contato indireto com animal gripado. Objetos contaminados como tigela de água ou comida, coleiras, superfícies de canis e outros também podem ser meios de transmissão.

Locais onde há muitos cachorros também se tornam foco de proliferação da gripe canina. Afinal, um único cachorro gripado é o suficiente para propagar o problema. A dificuldade de agir antes que a doença se espalhe é devida ao fato de que, antes mesmo de apresentar sintomas, o animal já pode transmitir o vírus.

Diagnóstico e tratamento para gripe canina

Ao notar os sinais, um veterinário deve ser acionado. O diagnóstico costuma ser clínico, ou seja, a partir de um exame em consultório o profissional é capaz de avaliar os sintomas e ter fortes suspeitas de gripe canina. Em alguns casos, amostras das secreção e sangue são colhidas para orientar o tratamento de suporte, dos sintomas. Caso haja suspeitas de complicações, como uma pneumonia derivada da gripe canina, outros recursos, como radiografia, podem ser utilizados.

Uma vez diagnosticada a gripe canina, o tratamento se volta para os sintomas que o animal apresenta. Combater os sinais de infecção ajuda o cachorro a se recuperar e, por fim, a se curar do problema. Depois disso, o cão desenvolve anticorpos contra a doença, mas isso não impede que ele volte a ser contaminado pelo vírus da gripe: por isso é importante investir em prevenção.

Além desses cuidados, o pet também precisa ficar em isolamento enquanto não forem eliminados os sintomas, para evitar a transmissão da doença. Não se esqueça de limpar a casa e os objetos do cachorro com materiais de limpeza (detergente e sabão comuns são suficientes) para matar o vírus e impedir um novo episódio.

Como prevenir a gripe canina

A melhor forma de prevenir a gripe canina é evitar locais de risco, como canis e aglomerações de cachorros. No Brasil, não existe a vacina contra influenza A para cães. Isso porque a doença não tem alta incidência comprovada no país – mas é sempre bom ficar atento.

Lembrando que os humanos, embora não adoeçam do vírus da gripe canina, podem transportá-lo. Por essa razão, se por acaso você tiver contato direto ou indireto com um cachorro doente ou que esteja sob suspeita, tome um banho e troque de roupa antes de encostar em seu cachorro.

O artigo te ajudou? Veja também o que fazer quando o cachorro vomita.