GUIA RÁPIDO

 

TIPO DE DOENÇA

A doença do carrapato é uma infecção por parasitas das células do sangue (hemoparasitas)

PRINCIPAIS SINTOMAS DA DOENÇA DO CARRAPATO

Os sintomas da doença do carrapato incluem apatia, tristeza, febre, cansaço, mucosas (gengiva, olhos e interior dos genitais) amareladas ou pálidas, urina escura, sangramentos espontâneos em geral na ponta da orelha e gânglios aumentados

TRATAMENTO PARA DOENÇA DO CARRAPATO E CURA

A doença do carrapato tem cura, que é feita com antiparasitários específicos, tratamento suporte e eliminação dos carrapatos do corpo do cachorro e do ambiente

COMO PREVENIR

Para prevenir a doença do carrapato você deve evitar a proliferação de carrapatos mantendo os ambientes limpos e dedetizados

O que é doença do carrapato?

A doença do carrapato é uma praga na vida dos cães e traz muita preocupação aos tutores. É uma infecção grave causada por hemoparasitas que atacam o sangue do cachorro e pode levar à morte. Gatos e seres humanos raramente são contaminados, mas não é impossível.

A doença do carrapato divide-se em erliquiose, uma bactéria, e babesiose, um protozoário. São dois micro-organismos diferentes que atacam células distintas, mas em geral causam sintomas muito similares. É comum que a infecção seja pelas duas juntas, ou seja, o carrapato vai transmitir tanto a erliquiose quanto a babesiose para o cachorro.

Em geral, a erliquiose se manifesta e progride lentamente, tornando-se crônica, isto é, com sintomas claros. A babesiose, por outro lado, mostra rapidamente a que veio com sintomas semelhantes à erliquiose. A única maneira de confirmar qual delas atacou o animal é por exames laboratoriais, como o de sangue.

A doença do carrapato não tem vacina, mas há formas de prevenção. O problema existe há muito tempo e está ligado aos hábitos de higiene dos locais onde o cachorro transita.

Quais são os sintomas da doença do carrapato?

Embora a erliquiose e a babesiose sejam parecidas, a questão principal está, entre outras coisas, na velocidade e nos estágios em que se manifestam no animal com a doença do carrapato.

A erliquiose ataca o sistema de defesa do cachorro (os glóbulos brancos). A bactéria induz o corpo do animal a destruir suas células de defesa, plaquetas (responsáveis pela coagulação do sangue) e impede a produção de novas células sanguíneas (hemácias), por isso é tão grave. Ela possui três fases bem acentuadas: aguda, com sintomas comuns a uma infecção, como febre, falta de apetite e perda de peso; subclínica, que não apresenta sintomas e pode durar até mesmo anos após a picada do carrapato; e, por fim, a fase crônica, com sintomas parecidos com os da fase aguda, mas mais graves e intensos.

A babesiose, por sua vez, ataca os glóbulos vermelhos, responsáveis pela circulação de oxigênio no sangue. Apesar disso, alguns sintomas são parecidos com os da erliquiose – como febre, fraqueza, perda de apetite, entre outros. Ela pode ser diagnosticada por exames laboratoriais.

Embora ela tenha uma fase com poucos sintomas, como a erliquiose, alguns dos rastros evidentes da doença do carrapato no cachorro são anemia, mucosas (gengiva, olhos e interior dos genitais) amarelas ou pálidas e insuficiência renal aguda, que causa sinais como pouca ou nenhuma urina e urina escura. O cachorro também pode apresentar sintomas de intoxicação, como desorientação e tontura – isso porque seu corpo não está eliminando as toxinas pelo xixi.

Transmissão e causas da doença do carrapato

O nome doença do carrapato já aponta o meio de transmissão: o carrapato marrom (Rhipicephalus sanguineus). Assim como o parasita pode ser apenas um um meio de transporte, sem ter nascido com a babesia, ele também pode absorver o protozoário ao picar um cachorro infectado e então passar aos seus filhotes (se for fêmea), que então nascem com o micro-organismo. Apesar de ainda não ser confirmado, acredita-se que o mesmo ciclo acontece com a Ehrlichia.

O carrapato, que está na base da transmissão da doença do carrapato, agrava ainda mais a situação do cachorro. Isso porque, além de dois parasitas destruindo as células sanguíneas e impedindo sua produção, o pequeno aracnídeo ainda suga o sangue do animal, o que diminui ainda mais a quantidade total de sangue. Ou seja, mesmo que não houvesse a transmissão da doença do carrapato, a simples presença do parasita nos cães é preocupante e causa problemas.

Não há como culpar apenas o ciclo da doença do carrapato e a existência do carrapato marrom como causador e transmissor. O carrapato se prolifera em lugares úmidos e quentes, além de quase todos os lugares em que o seu cachorro estiver. Assim, onde houver condições de vida e esconderijo, o transmissor da doença do carrapato faz morada. É preciso investir em prevenção.

Diagnóstico e tratamento para doença do carrapato

A doença do carrapato tem cura? Embora não exista vacina, há sim cura para a doença do carrapato. Basicamente, quanto mais cedo os sintomas forem observados e o diagnóstico for dado, maiores as chances de cura. Por isso é fundamental agir rapidamente e procurar um veterinário.

A erliquiose afeta os glóbulos brancos, ou seja, os de defesa do organismo. É por isso que, na terceira fase, a doença do carrapato parece autoimune: porque o organismo não consegue conter sozinho o progresso dos sintomas. A babesiose, por outro lado, afeta os glóbulos vermelhos e as hemácias, e isso se expressa por meio de anemia, apatia, fraqueza e a já conhecida insuficiência renal.

O que fazer para curar a doença do carrapato em qualquer um desses quadros? Procure um veterinário imediatamente! Somente com exames laboratoriais (de sangue e testes sorológicos rápidos) o médico do seu animal vai poder fazer a distinção entre os micro-organismos, verificar a fase da doença e o tratamento indicado – além, é claro, de descartar outros problemas de saúde que podem apresentar sintomas similares.

Em todos os casos, de simples ao grave, a chave para resolver o problema é uma observação criteriosa do tutor quanto aos sintomas da doença do carrapato e dar início ao tratamento. Isso inclui eliminar o vetor, ou seja, os carrapatos, do local onde vive o cachorro. É por isso que o tratamento envolve o animal de estimação e o local onde ele reside.

Como prevenir a doença do carrapato

A melhor maneira de cuidar para que a doença do carrapato não atinja seu cachorro é eliminando os carrapatos dos locais que ele frequenta. Não adianta cuidar dos sintomas e conseguir a cura se o ambiente em que o pet vive estiver repleto desses bichos.

O que pode ser feito para evitar a doença do carrapato, basicamente, é seguir algumas orientações:

  • Dê sempre uma boa olhada nos pelos do cachorro – especialmente após ser exposto a outros lugares, como em passeios na rua;
  • Limpe o ambiente onde ele vive;
  • Procure usar produtos carrapaticidas como sabonetes, xampus, etc., desde que indicados por um veterinário;
  • Corte a grama (se houver em seu quintal) e mantenha paredes limpas;
  • Se for viajar, confira as condições de onde vai deixar seu cachorro. O mesmo vale se ele for com você.
  • Aplique uma pipeta ou utilize coleira contra pulgas e carrapatos no cão, conforme as recomendações do fabricante ou do veterinário.

Eliminar o carrapato do cachorro ou do ambiente é um desafio mesmo para as pessoas mais cuidadosas. É importante sempre ficar atento ao corpo e pelo do pet e, sobretudo, a possíveis sintomas.

Quer saber mais sobre a doença do carrapato? Assista ao vídeo:

Crédito: Petlove

O artigo te ajudou? Fique atento ao seu pet e, aos primeiros sinais de algum sintoma da doença do carrapato, procure um veterinário! Confira também o calendário anual de vacinas para assegurar a proteção do cachorro.