raça de cachorro vira lata srd

Preferido dos brasileiros, o cachorro vira-lata, ou tomba-lata, está presente em cerca de 41% dos nossos lares. Também conhecido pela sigla SRD (Sem Raça Definida), o vira-lata não tem padrão nem origem conhecida, e por esse motivo não tem pedigree (documento que atesta a linha de ancestrais do cachorro). Mas isso não faz do cachorro vira-lata menos querido e amado. E se você quer ter um cachorro único e especial, o vira-lata é perfeito, já que não existem dois iguais no mundo.

História

O cachorro vira-lata não tem história definida, pois é fruto da mistura de diversas raças. E a árvore genealógica de cada um dos cachorros considerados Sem Raça Definida varia de acordo com a própria história do animal. Mas, em termos gerais, pode-se dizer que o vira-lata tem a mesma origem que a de todos os cachorros: eles são descendentes dos lobos selvagens e primos das raposas.

Apesar disso, é difícil definir sua origem, já que, desde que existem cachorros domésticos, existem exemplares resultantes da mistura de diferentes raças. Mas uma coisa é quase certa: a origem do nome. Acredita-se que o termo vira-lata tenha surgido do fato de que muitos deles costumavam (e costumam) viver nas ruas e que, na luta pela sobrevivência, era comum vê-los revirando latas ou sacos de lixo para encontrar alimento.

Com o tempo, o termo vira-lata foi ganhando contornos pejorativos, como a expressão cunhada pelo dramaturgo Nelson Rodrigues. De acordo com o “complexo de vira-lata” sobre o qual ele escreveu, o brasileiro sofreria de uma espécie de sentimento de inferioridade em relação ao resto do mundo. Mas, com o tempo, essa conotação negativa foi perdendo força, e hoje o vira-lata é paixão nacional!

Características

Cores do SRD

Uma das coisas mais bacanas do cachorro vira-lata é que ele pode vir em todos os tamanhos, cores e variedades. Tem vira-lata de porte grande, de porte pequeno. Tem vira-lata de bigode, sem bigode. E quanto às cores, tem para todos os gostos, do caramelo e fulvo ao branco, preto, canela, e várias outras combinações.

Temperamento do Vira-Lata

Justamente por causa da variedade de cães Sem Raça Definida, o temperamento do vira-lata é bastante diversificado. Mas uma coisa é comum à maioria deles: a esperteza! Os vira-latas não têm um comportamento típico, porque são fruto da mistura de uma variedade de raças, mas podem apresentar diferenças de acordo com a idade de adoção, por exemplo. Se você adotou um vira-lata mais velho, ele vai fazer jus à máxima “não se ensina truque novo a cachorro velho”, principalmente se ele tiver “experiência de rua”. Mas, quando novinhos, eles são bem abertos e fáceis de lidar, por não terem as características mais marcadas de algumas raças. Os cães SRD são versáteis e vão se adaptar a qualquer ambiente!

Embora o comportamento do cachorro vira-lata não tenha um padrão definido, é possível tentar discernir a personalidade do cachorro se você tiver alguma ideia de quais foram as raças que originaram o seu peludo. Se a mistura tiver sido feita entre duas raças com temperamento mais calmo e tranquilo, as chances do vira-lata herdar esse comportamento de seus pais é maior. Mas há casos em que a cruza pode acontecer entre raças de temperamento conflitante. Nesses casos, é difícil prever qual será a personalidade resultante. Em geral, no entanto, o vira-lata costuma ser bastante calmo e dócil, e normalmente não é muito brigão – a não ser que você queira mexer na lata dele.

O SRD com crianças, estranhos e outros animais

É comum ouvir falar, quando se adota um vira-lata, que eles são mais desconfiados ou inseguros devido a possíveis históricos de maus tratos que eles tenham sofrido antes da adoção. Mas isso costuma acontecer mais com cachorros adotados já na idade adulta, pois eles podem apresentar mesmo algum trauma de barulho, crianças, estranhos ou até mesmo outros cachorros, dependendo do porte do animal. O importante é ter paciência, muito amor e carinho para ajudá-lo a passar por isso.

Mas como o comportamento do vira-lata não é padronizado (não apresenta as características distintivas de algumas raças), se adotado jovem, fica mais fácil de moldar seu comportamento e treiná-lo para aceitar bem a presença de estranhos, crianças e outros cachorros, por exemplo. Os treinos de obediência e socialização são os melhores para isso.

O SRD é destruidor?

Assim como com qualquer raça canina, se você adotou o seu cachorro vira-lata ainda filhote, as chances dele roer o pé da mesa, o estofado do sofá e a cortina da sala são muito grandes. Isso por conta daquele momento em que nasce a dentição, o que incomoda bastante. Também tem a fase de experimentação, comum a todos os cachorros, em que ele vai disputar a força com o tutor, para ver quem é que manda no pedaço. Mas isso se corrige com bastante treino e reforço positivo. E, como cachorros vira-latas são muito espertos, costumam aprender rapidinho.

O SRD é agitado?

É e não é, tudo depende! O ponto é que cada cachorro vira-lata é único, o que torna difícil prever traços da sua personalidade. Assim como outros cães, é comum que os vira-latas de porte maior sejam mais agitados na infância e fiquem mais tranquilos conforme a idade avança. Os cães de porte pequeno e médio, por outro lado, podem apresentar alguma agitação mesmo mais velhos. Mas isso vai variar de cachorro para cachorro.

Cuidados

Como o vira-lata não tem origem definida, ele pode ter problemas inesperados. Por isso, ele deve ter tantos cuidados quanto os que se aplicam a qualquer outra raça. Como vacinação, vermifugação, banhos periódicos, escovação da pelagem, escovação dos dentes, passeios frequentes, exercícios regulares, tosas higiênicas, corte de unhas, entre outros. Outro cuidado que em geral é recomendado pelos veterinários é quanto à castração.

Como as cadelas sem raça definida têm facilidade para se reproduzir e cios frequentes, você talvez queira pensar na realização de um procedimento de castração. Afinal, uma cadela pode ter até oito filhotes por gravidez. A castração é recomendada também para mitigar casos de piometria (grave inflamação uterina que pode afetar a vida das cadelas e, em casos mais graves, levá-las ao óbito), que pode ser prevenida com o procedimento.

Saúde

O vira-lata costuma ter uma saúde de ferro! Como não tiveram a interferência dos seres humanos em suas cruzas, a natureza se encarregou de fazer seu papel. Mas é claro que é sempre bom ficar de olho em algumas condições que são comuns de acordo com o porte do cachorro. Se ele for de porte maior, fique atento a problemas nas articulações, como a displasia de quadril. Se o porte do seu vira-lata for menor, é bom ficar de olho em problemas como obesidade, por exemplo.

Mas não é porque o vira-lata costuma ser mais resistente que ele não precise de cuidados frequentes. A consulta periódica com o veterinário é muito importante para garantir que qualquer complicação possa ser diagnosticada precocemente e um tratamento possa ser atribuído. O problema é que muitas pessoas, por acharem que o vira-lata tem uma resistência maior, não costumam levar seus cachorros para vacinar, por acharem que sua experiência com outros cães e a temporada na rua fizeram com que ele desenvolvesse alguma espécie de imunidade. Isso não é verdade, e o vira-lata está tão suscetível a doenças como qualquer outro cachorro. Por isso, é importante manter a vacinação em dia.

Preço

Existem muitos cães SRD em busca de um lar em instituições que resgatam animais ou mesmo nas ruas. Adotar um deles para casa significa salvar e mudar completamente a vida do peludo – e a sua, que vai ficar muito mais feliz!

Antes de decidir comprar um cachorro, lembre-se que existem muitos animais abandonados nas ruas ou resgatados por ONGs à procura de uma família amorosa. Adotar é tudo de bom! 🙂

Curiosidades

– Olfato: o olfato do cachorro vira-lata é praticamente biônico! Eles conseguem, por exemplo, saber a diferença entre um feijão e uma cebola, alho, louro. Isso porque muitos deles, por terem vivido nas ruas, precisaram aprender a distinguir os alimentos em sacos e latas de lixo para garantir sua sobrevivência.

– 100% brasileiro: os vira-latas como os conhecemos só existem aqui no Brasil. Até existem raças misturadas em outros países, mas elas costumam ter menos misturas e, portanto, tendem a ser nomeadas de acordo com as raças de seus pais. Um exemplo é o bassetoodle, cruza entre o basset hound e o poodle.

Censo Canino

Ranking de popularidade: o cachorro vira-lata é o mais popular no Brasil

Nomes mais comuns: Mel e Bob (veja o top 10 no fim do post!)

Média de idade: a maioria dos cachorros vira-latas do Brasil tem entre 2 e 4 anos

Cidades do Brasil com mais Vira-Lata

São João del-Rei – MG

42%

Esteio – RS

40%

Brumadinho – MG

40%

Arujá – SP

38%

Viçosa – MG

38%

Gostou? Compartilhe!

Experiências com Vira-Lata

  1. Peludo , 1.5 ano

    Saúde

    Sociabilidade

    Energia

    Facilidade de treinar

    Nível de cuidados

    Eu digo que o meu cachorro n’ao foi eu que escolhi, ele que me escolheu, pois quando ele ainda era filhote em uma cria de 12 filhotes, eu queria ficar com um irmão dele, porém sempre que eu ia fazer carinho no irmão dele, ele se metia no meio e ficava pulando na minha mão, isso me chamou atenção e eu acabei trocando, me apaixonei por ele e o levei para casa.

    3 de outubro de 2018

Compartilhe sua experiência

Saúde

Socialidade

Energia

Facilidade de treinar

Nível de cuidados