floral-para-cachorro

Com sua pele enrugada e língua azul, o shar-pei é uma das raças mais raras do mundo, razão pela qual já figurou entre os recordes do Guiness Book. Por suas dobrinhas pelo corpo e sua cara enrugada, você pode até achar que o shar-pei é uma raça fofa, mas não se engane: ele é bem dominador e vai tentar impor a sua vontade sempre que puder.

Origem: China

Peso: 20-27 kg

Altura: 45-50 cm

Expectativa de vida: 8-12 anos

História

Uma das raças mais antigas e raras do mundo, acredita-se que o shar-pei tenha se originado na China antiga durante a dinastia Han (entre 206 a.C. e 220 d.C.). Essa teoria é sustentada pela descoberta de estátuas próximas à cidade de Hong Kong, semelhantes ao shar-pei e datadas desse período histórico.

Assim como seus supostos ancestrais, os chow-chow, acredita-se que o shar-pei tenha sido usado na China em várias atividades, como cão de guarda, de tração, em práticas de rinha, como cães de briga e cão de caça. Não se sabe ao certo como a raça evoluiu até chegar a sua forma atual, mas especula-se que, após a criação da República Popular da China, a população canina foi praticamente dizimada, uma vez que a criação doméstica desses animais era considerada uma prática burguesa, o que Mao Tsé-Tung queria eliminar. Isso fez com que a presença dos cães fosse reduzida a uns poucos exemplares nas cidades e no campo. Para salvar a raça, alguns criadores se refugiaram em partes da China consideradas ainda capitalistas, como Hong Kong.

O shar-pei só passou a existir no mundo ocidental ao chegar aos EUA, em 1966, quando alguns cachorros foram importados em lote. Mas o interesse por esses cachorros aumentou em 1973, quando um criador da raça refugiado em Hong Kong, o sr. Matgo Law, temendo que a revolução comunista na China se expandisse, fez um apelo a entusiastas da raça nos EUA com a campanha “Salve o chinês shar-pei”. A resposta foi imediata, mas por causa de sua raridade, apenas 6 exemplares foram exportados para a América do Norte. Apenas em 1988 o shar-pei foi aceito pelo American Kennel Club (AKC).

Atualmente, o shar-pei felizmente está longe da extinção, mas continua sendo uma raça rara e, portanto, um pouco difícil de encontrar.

Características

Cores da raça

Uma das características mais marcantes do shar-pei é seu pelo, bastante duro, curto e eriçado, sem subpelo. As cores em geral são sólidas, mas alguns shar-pei podem apresentar coloração mais clara na cauda e na parte posterior da coxa.

A variação de cor vai do preto ao creme e a raça pode apresentar também pelagem na cor fulva (um tom próximo do caramelo, que tem variações desde as mais avermelhadas às mais escuras, próximas do café com leite), dourada ou canela.

cores-shar-pei-1

Temperamento do shar-pei

Se você estiver procurando por um cachorro calmo, tranquilo e bastante independente, o shar-pei é a raça certa. Mas ele também pode ser bem teimoso! Como é uma raça bastante inteligente, tende a fazer as coisas, digamos… a seu modo. Isso pode fazer com que seja necessário bastante adestramento por parte de seu tutor, a quem o shar-pei deve respeitar, ou ele não vai atender à voz de comando e vai fazer o que bem entender.

Apesar disso, se ele estabelecer uma boa relação com seu “mestre”, tende a ser dedicado e amoroso, além de muito protetor com a família. Essas características também fazem dele um ótimo cão de guarda. O shar-pei também é muito brincalhão e adora a companhia de quem ama.

A raça com crianças, estranhos e outros animais

Brincalhões, os shar-pei são ótimos com as crianças mais velhas. Isso porque seu porte é um pouco grande e ele pode não entender muito bem que precisa moderar sua força. Mas se criado desde pequeno com os integrantes mais jovens da família, ele pode entender melhor a delicadeza desses pequenos seres e se tornar um grande companheiro para eles.

Já com estranhos é melhor não arriscar! Dominadores e protetores, os shar-pei não vão economizar na agressividade. E, se acharem que alguém representa uma ameaça, esse alguém pode sair machucado. E o mesmo pode ser dito com relação a seus companheiros de espécie – é necessário ter sempre a supervisão do tutor na interação com outros cachorros.

O shar-pei late muito?

Não. O shar-pei é do tipo de cachorro a quem podemos chamar de tranquilão. Mas isso não significa que você vai ter um cachorro mudo: ele só vai latir quando achar estritamente necessário, e em geral isso pode envolver a chegada de carteiros ou entregadores em casa.

A raça é destruidora?

Pode ser. Todo cachorro precisa de um nível de exercício e estímulos diários, e com o shar-pei não é diferente. Embora costume ser calmo e tenha uma postura carrancuda e, até mesmo, esnobe, o shar-pei tem bastante energia para gastar. E, se não fizer exercícios, pode ficar agitado e agressivo, e isso pode ser descontado nos móveis da sua casa. Mas se você adotar uma rotina diária de exercícios e brincadeiras com seu shar-pei, ele tende a ser bem calmo e comportado.

shar-pei é agitado?

Não muito. Quando está na calma e no conforto da sua rotina diária em família, o shar-pei vai ser brincalhão e descontraído. Mas não espere que ele gaste as pilhas dos rebentos, pois a raça costuma cansar logo das brincadeiras e ir se deitar para recuperar as energias. Apesar disso, esse cachorro precisa de exercícios diários ou pode ficar agressivo, principalmente com outros cães, por sua personalidade dominadora.

Cuidados

Como o shar-pei tem muitas rugas, dobrinhas e um pelo bastante denso, é preciso tomar alguns cuidados diários. Veja os principais:

– Banho e dobrinhas: o banho pode ser dado uma vez por semana. Mas tome o cuidado de secar seu cachorro muito bem, pois a umidade entre suas dobrinhas pode causar problemas de pele. E, como ela é enrugada, preste bastante atenção para ver se não há alergias e infecções.

– Pelos: por ter um pelo bastante duro e denso, apesar de liso, o shar-pei requer escovação diária. O que, além de ser um ritual diário de carinho, também é uma forma de ficar atento para ver se a pele do seu cachorro está saudável.

– Calor: por seu pelo e sua “sobra” de pele, ou dobrinhas, os shar-pei costumam não ser muito tolerantes ao calor. Por isso, é importante mantê-los refrescados em todos os momentos: lembre-se de trocar sempre a água e, ao passear com ele, vá pela sombra.

– Unhas: as unhas do filhote são pequenas e fáceis de cortar, mas quando adultos, é melhor deixar a tarefa para um profissional ou aprender a cortar. Isso pode ser feito uma vez por mês.

– Olhos: por sua tendência a ter problemas oculares, é bom verificar os olhos do seu shar-pei diariamente, limpando com soro fisiológico e ficando atento a sinais de coceira e vermelhidão.

Saúde

Apesar de costumar ser saudável, o shar-pei pode apresentar algumas condições típicas da raça. Veja a seguir algumas em que você deve ficar de olho:

– Olhos: assim como o chow chow, o shar-pei pode sofrer de uma condição chamada entrópio, quando a pálpebra fica invertida, voltando-se para o globo ocular. Isso pode gerar infecções e irritações e, se não cuidado, pode levar à cegueira. Se seu cachorro apresentar olhos lacrimejantes e vermelhos, leve-o ao veterinário o quanto antes.

– Quadril: por ser uma raça de grande porte, o shar-pei pode sofrer de displasia do quadril, uma má formação nos ossos dessa região do corpo. A condição é comum em cachorros com tronco largo.

– Febre do shar-pei: doença autoimune e hereditária, passada dos pais para o filhote por um componente genético. Quando o shar-pei tiver essa condição, ele vai apresentar inflamação de alguma parte de seu corpo como resposta do seu sistema imunológico. A parte mais afetada costuma ser o jarrete, aquele pequeno cotovelo na pata traseira do animal (que costuma inchar e causar problemas de articulação), mas também pode afetar o focinho e os lábios. Os sintomas mais comuns da doença são febre, inflamação e incômodos abdominais.

Nível de exercícios do cachorro

Embora adore ter aquele momento de reflexão e descanso, o shar-pei exige exercícios diários. Mas é necessário tomar cuidado com o excesso de exercícios, principalmente para não sobrecarregar as articulações do quadril, pois a raça tende a apresentar problemas nessa área do corpo. Apesar disso, é importante levar seu cachorro para passear todos os dias, com caminhadas de cerca de 1 km, com duração de 1 hora.

Preço

Quem gosta da raça quer saber: quanto custa um shar-pei? O preço de um filhote de shar-pei pode variar de R$ 500 a R$ 7.500 — o valor foi calculado com base no preço nos principais sites de venda do país.

Antes de decidir comprar um cachorro, lembre-se que existem muitos animais abandonados nas ruas ou resgatados por ONGs à procura de uma família amorosa. Adotar é tudo de bom! 🙂

Curiosidades

– Guinness Book: Em 1978, o shar-pei foi considerado pelo Guinness World Records a raça mais rara do mundo, por sua pele enrugada e sua língua azul.

– Nome: shar-pei significa “pele de areia”, mas também pode ser traduzido como animal de “pelo áspero, arenoso” ou “pelo de lixa”, e refere-se às duas qualidades distintivas do shar-pei: o pelo duro ao toque e a pele “solta”. Algumas pessoas afirmam que essa era uma característica importante nas lutas de rinha, pois, caso o shar-pei fosse mordido, sua pele solta evitaria que ele fosse ferido mais profundamente, o que protegeria seus órgãos.

Censo Canino

Ranking de popularidade: o shar-pei é a 34ª raça mais popular no Brasil

Nomes mais comuns: Malu e Theo (veja o top 10 no fim do post!)

Média de idade: a maioria dos shar-peis do Brasil tem entre 2 e 4 anos

Cidades do Brasil com mais Shar-pei

Eusébio – CE

3.5%

Recife – PE

2.3%

Camaçari – BA

2%

Marília – SP

2%

Araucária – PR

1.9%

Gostou? Compartilhe!

Compartilhe sua experiência

Saúde

Socialidade

Energia

Facilidade de treinar

Nível de cuidados