cachorro-pequines-1

O pequinês se parece com um pequeno mico-leão-dourado que adora colo – e por isso mesmo é um ótimo cão de companhia. Uma das menores raças do mundo, chegando apenas a 6 quilos, o pequinês cabe na bolsa! E é claro que você não é a primeira pessoa a pensar nisso. Na China, de onde eles vieram, eram carregados nas enormes mangas das vestes imperiais, e por isso chegaram a ser apelidados de “cães de manga”. Sua pequena estatura também é ideal para quem mora em espaços pequenos, como apartamentos, e para quem gosta de brincar sem gastar muita energia.

Origem: China

Peso: até 6 kg

Altura: 15-23 cm

Expectativa de vida: 12-14 anos

História

Originário da China, o pequinês é um velho senhor. Sua história data de 800 d.C. e acredita-se que ele tenha vivido na corte da dinastia T’ang. Criados exclusivamente para serem animais domésticos, os pequineses eram os animais de estimação oficiais do Palácio Imperial Chinês, centro cerimonial e político da China, local hoje conhecido por Cidade Proibida. E como eram os cachorros do imperador, a pena por contrabandear o pequinês fora dos muros do palácio imperial era a morte.

Essa proibição fez com que o pequinês ficasse durante muito tempo restrito à China. Foi só em 1860 que a raça foi apresentada ao mundo ocidental, quando um dos complexos do Palácio Imperial foi ocupado por tropas francesas e inglesas. Os soldados encontraram alguns pequineses e presentearam a nobreza com alguns exemplares – a rainha Vitória, da Inglaterra, batizou o seu de looty. Mais tarde, a Imperatriz Viúva Tseu-Hi, após estabelecer relações comerciais e diplomáticas com os Estados Unidos entre os anos 1861 e 1908, presenteou vários americanos com pequineses, incluindo a filha de Theodoro Roosevelt, antigo presidente dos Estados Unidos, contribuindo para a divulgação da raça.

A primeira exibição do pequinês aconteceu na Inglaterra, em 1894, e a partir daí a raça passou a ser popularizada. Alguns anos depois, em 1904, ela foi registrada pelo American Kennel Club (AKC).

Características

Cores da raça

De modo geral, para se encaixar no padrão da raça, todas as cores são aceitas, mas a região do focinho e dos olhos deve ser preta. O pequinês pode apresentar cores que vão desde o preto ao branco.

Mas as mais comuns são o fulvo (um tom próximo do caramelo, que tem variações desde as mais avermelhadas às mais escuras, próximas do café com leite) e o dourado, com pelagem mais escura no focinho, orelhas e olhos.

Temperamento do pequinês

Independente e obstinado, o pequinês é muito corajoso! Mas embora essa seja uma característica louvável, ela pode gerar problemas, pois o pequinês não vai ter medo de bater de frente com uma raça dez vezes maior que ele. Isso faz dele um bom cão de guarda, mas seu tamanho não lhe faz jus à braveza. Eles também podem ser teimosos e difíceis de educar – mas nada que um bom adestramento não dê jeito!

Além de tudo isso, a raça ainda adora um colo e estar na presença do tutor e da família, o que torna esse cachorro um cão de companhia carinhoso e leal. Por não ter tanta energia e um tamanho que lhe permite chegar a no máximo 6 quilos, o pequinês é o cachorro ideal para quem tem um espaço pequeno e quer um grande parceiro.

A raça com crianças, estranhos e outros animais

O pequinês adora crianças, mas é melhor deixá-lo interagir com as que tiverem mais de cinco anos, pois nessa idade elas têm mais consciência de como tratar os amigos peludos. Com outros cães, a interação pode ser bem tranquila se ele for socializado desde filhote, mas pense bem antes de adotar um irmãozinho mais novo para o pequinês, pois ele não gosta de ser provocado e pode apresentar um comportamento agressivo com relação ao filhote. Os estranhos não precisam temer esse pequeno leão, embora ele goste de vocalizar a presença deles com algum ânimo.

O pequinês late muito?

Não muito! Embora seja um baixinho invocado, o pequinês é bem tranquilo, e tende a latir quando acha que um perigo se aproxima e para proteger seu dono. Mas não é o tipo de cachorro que vai latir para a própria sombra, afinal, ele tem a coragem de um leão.

A raça é destruidora?

Não costuma ser! Mas como todo cachorro que não se exercita, o pequinês pode ficar ansioso, e apresentar comportamentos de “mania”, como roer o cabo do computador e o cadarço do sapato! Mas não vai passar muito disso, até porque ele não vai alcançar muita coisa para destruir mesmo…

O pequinês é agitado?

O pequinês é vivo e brincalhão, além de ser muito amoroso com os membros da família, mas não tem tanta energia assim. Como é um cão de colo, e foi criado para tal, não gosta muito de ficar sozinho. É quando pode apresentar alguma ansiedade, mas não costuma demonstrar isso de forma inconveniente (seus vizinhos agradecem!).

Cuidados

Como é bem peludo, o tempo de cuidado com o pequinês costuma ser relativamente grande. Vamos ver o que você precisa saber para fazer a manutenção da raça:

– Banhos: dê banho no seu pequinês pelo menos uma vez ao mês, ou a cada quinze dias. E lembre-se de usar um condicionador para desembaraçar o pelo e não machucar a pele do animal na escovação.

– Pelos: a raça é bem peluda, e além de ter uma camada de pelo superior mais grossa e rústica, ele ainda tem um subpelo denso, mas macio. Então é preciso escová-lo todo dia. E não esqueça de passar uma loção condicionante antes, pois a textura do pelo superior pode se enroscar e criar nós.

– Olhos: como esse cachorro tem tendência a ter problemas oculares, lembre-se de limpar a região dos olhos sempre, além de cortar sua franjinha, para o pelo não virar um eventual corpo estranho no globo ocular do seu pequinês ou prejudicar a visibilidade.

– Dentes: o pequinês costuma ter problemas dentários e mau hálito, principalmente causados por placas e tártaro. Por isso, escove os dentes do seu companheiro pelo menos uma vez por semana.

Saúde

Apesar do pequinês costumar ser uma raça saudável, pode apresentar algumas condições típicas da raça. Veja algumas delas a seguir:

– Joelho: um dos pontos nos quais você deve prestar atenção na raça é o joelho, pois ele pode sofrer de desgaste dos ossos da região. Isso ocorre quando a patela, ou rótula do cachorro, se desencaixa da articulação do joelho, o que causa dores e falta de mobilidade.

– Olhos: outra região que merece atenção são os olhos do pequinês, pois ele pode desenvolver uma condição chamada entrópio, que pode causar infecções. Fique de olho nos sintomas e, se seu pequinês começar a lacrimejar e coçar muito os olhos, leve-o ao veterinário.

– Cabeça: duas das características mais marcantes do pequinês, sua cabeça achatada e focinho chato são traços distintivos da raça que podem fazer com que desenvolva síndrome braquicefálica. A condição é caracterizada por gerar dificuldade na respiração dos cães. Fique atento aos sintomas – que incluem ronco, salivação excessiva, apneia durante o sono, regurgitação, vômitos – para tentar monitorar a condição, pois caso não seja não tratada, pode evoluir para hérnias e problemas cardíacos.

Nível de exercícios do cachorro

O pequinês adora brincar e costuma ser muito gracioso, mas não é um grande fã de exercícios físicos. Apesar disso, ele não vai desgostar se você levá-lo para passear todo dia. A média de tempo e distância recomendada para os exercícios do seu pequinês é de 20 minutos e pouco mais de 1 km de caminhadas diárias.

Preço

Achou a raça um encanto e se perguntou quanto custa um pequinês? O preço de um filhote do pequeno “mico-leão-dourado” pode variar de R$ 1.200 a R$ 3.000 — o valor foi calculado com base no preço nos principais sites de venda do país.

Antes de decidir comprar um cachorro, lembre-se que existem muitos animais abandonados nas ruas ou resgatados por ONGs à procura de uma família amorosa. Adotar é tudo de bom! 🙂

Curiosidades

Como é bem peludo, o tempo de cuidado com o pequinês costuma ser relativamente grande. Vamos ver o que você precisa saber para fazer a manutenção da raça:

– Banhos: dê banho no seu pequinês pelo menos uma vez ao mês, ou a cada quinze dias. E lembre-se de usar um condicionador para desembaraçar o pelo e não machucar a pele do animal na escovação.

– Pelos: a raça é bem peluda, e além de ter uma camada de pelo superior mais grossa e rústica, ele ainda tem um subpelo denso, mas macio. Então é preciso escová-lo todo dia. E não esqueça de passar uma loção condicionante antes, pois a textura do pelo superior pode se enroscar e criar nós.

– Olhos: como esse cachorro tem tendência a ter problemas oculares, lembre-se de limpar a região dos olhos sempre, além de cortar sua franjinha, para o pelo não virar um eventual corpo estranho no globo ocular do seu pequinês ou prejudicar a visibilidade.

– Dentes: o pequinês costuma ter problemas dentários e mau hálito, principalmente causados por placas e tártaro. Por isso, escove os dentes do seu companheiro pelo menos uma vez por semana.

Censo Canino

Ranking de popularidade: o pequinês é a 41ª raça mais popular no Brasil

Nomes mais comuns: Frida e Bob (veja o top 10 no fim do post!)

Média de idade: a maioria dos pequineses que vivem no Brasil tem entre 2 e 4 anos

Cidades do Brasil com mais Pequinês

Jaraguá do Sul – SC

2.8%

Erechim – RS

2.8%

Barra Mansa – RJ

2.2%

Vespasiano – MG

1.8%

Imbituba – SC

1.8%

Gostou? Compartilhe!

Compartilhe sua experiência

Saúde

Socialidade

Energia

Facilidade de treinar

Nível de cuidados