Evite as armadilhas que levam à obesidade canina – e o ajude a viver mais saudável por muito mais tempo

Assim como está acontecendo com os humanos, o número de cães gordinhos vem aumentando muito nos últimos anos: as estimativas da porcentagem de cães acima do peso e obesos variam entre 30% e 40% dos cães domésticos brasileiros. Preocupante pensar que quase metade dos cães com famílias não estão no peso ideal, não é?

No primeiro post sobre esse assunto nós te ensinamos a descobrir se seu cãozinho está gordinho ou não. Hoje nós vamos falar um pouco sobre o que pode causar essa condição e como revertê-la.


Por que ele engorda?

Muito provavelmente, as causas do aumento de peso são a alimentação inadequada e pouco exercício físico – ou as duas coisas! Pode ser que o tipo de ração que você está fornecendo não seja a ideal para ele, porque cada cão tem um organismo diferente dos outros. Já existem no mercado rações para diferentes níveis de atividade, específicas para raças e até para animais castrados.

Alimentação sem um horário certo ou à vontade aumentam as chances de obesidade, e aquele petisco ou sobrinha do nosso almoço pode prejudicar bastante a saúde deles. Converse sempre com o veterinário para chegarem a uma dieta personalizada e perfeita para ele.

A quantidade de exercício certa também vai variar um pouco da raça e da rotina da sua família, mas uma coisa é fato: pelo menos uma boa caminhada por dia é imprescindível, e isso não ajuda só no controle de peso não! Também ajuda a divertir o peludo, faz com que ele fique menos ansioso, é ótimo para fortalecer a relação de vocês (ele está passeando com o dono, é um tempo muito precioso!).

Brincar bastante com ele dentro de casa também acrescenta uma dose de exercício, mas não dá para dispensar a caminhada. Acredita na gente: faz bem para os dois e evita problemas para ele.

Leve-o ao veterinário, e juntos cheguem a uma rotina alimentar e de exercício que seja ideal para seu pequeno desde a infância dele. O médico veterinário também deve ser consultado para fazer uma investigação mais profunda: já pensou que a obesidade pode ser a consequência de alguma doença que você não saiba que seu cão tem? Distúrbios endócrinos  podem estar impedindo o corpo dele de fazer uma manutenção saudável do peso. Apesar de não serem  casos tão comuns, essa possibilidade não deve ser descartada.


As consequências da obesidade

O excesso de gordura não é apenas um incômodo para os cães. Assim como com as pessoas, o sobrepeso pode dar início a várias outras doenças perigosíssimas. Se a obesidade e essas doenças não forem tratadas corretamente, elas diminuem muito o tempo e qualidade de vida dos cães. No pior caso, podem até levá-lo a uma morte prematura.

O sobrepeso em si é desconfortável por piorar a habilidade de locomoção do peludo. Ele se esforça muito mais para realizar ações simples, sobrecarregando o sistema respiratório e circulatório.

Os ossos e articulações também são muito prejudicados por essa sobrecarga de peso, especialmente se seu cão já tem predisposição a problemas neles. Por isso é muito comum vermos animais gordos com problemas na coluna e nas articulações. Eles têm mais predisposição à fraturas, artrites e rupturas de ligamentos, e também têm maior risco de vida em procedimentos anestésicos se precisarem de alguma cirurgia. Condições de algumas raças como a displasia coxofemoral, por exemplo, são muito agravadas quando o peso está acima do ideal.

Ao contrário de nós humanos, não foi comprovado que a obesidade causa alterações cardíacas, contudo o sistema respiratório dos nossos peludos pode ficar prejudicado pela gordura corporal e algumas condições raciais como a síndrome do braquicefálico (cães com focinho achatado) e a hipoplasia traqueal (que causa o colapso de traquéia) podem ser agravadas e dificultar a respiração deles.

Outro distúrbio comum e muito perigoso causado pela obesidade nos cães é a diabetes. Essa doença causa grande sofrimento no peludo, e pode ser uma preocupação até o final da vida dele.

Obesidade canina: o que faço para ele perder peso? Veja a dica da veterinária DogHero!


E é possível reverter a obesidade?

Claro que sim, nunca é tarde demais para tomar atitudes que vão fazer tão bem para a vida do seu peludo e para a sua também!

A primeira coisa a se fazer é consultar o veterinário. Não só pelo diagnóstico e plano de reversão, mas também pela investigação da obesidade – já mencionamos que a causa dela pode estar em doenças endocrinológicas, e esse fator só pode ser descoberto e tratado com a ajuda de um profissional competente.

Depois de conversar com o vet, ponha em prática o plano de alimentação e exercício definido. Pode ser que você precise trocar a ração normal do cão por uma light, e precise também ajustar a porção que ele come. Siga as instruções que estão na embalagem da própria ração, pois cada marca e categoria tem um volume ideal para ser ingerido conforme o peso do cão.

Também é bom estabelecer uma rotina de horários e frequência das refeições diárias: cães adultos devem comer duas vezes ao dia (para os filhotes, três vezes) e sempre nos horários que você definir. Deixar a ração à disposição o dia inteiro pode ser ruim já que ele acaba comendo mais do que precisa e sem um espaço regular entre as refeições.

Ainda sobre a comida, evite o máximo possível os petiscos industrializados. Eles são ricos em gorduras e carboidratos, pobres em nutrientes e podem tirar o apetite para a ração equilibrada , sendo   portanto desfavoráveis ao controle do peso e dificultam  uma alimentação saudável. Temos aqui no blog um post todinho sobre petiscos saudáveis para os cãezinhos – confere aqui!

Siga as recomendações do veterinário antes de começar a exercitar seu peludinho. Se você começar pegando pesado demais pode acabar machucando, adiando ainda mais a recuperação do peso saudável. Comece com calma, respeitando os limites do corpo atual dele, e aumente a frequência e intensidade das atividades conforme ele for ganhando mais musculatura e resistência.

O tratamento das as doenças que a obesidade eventualmente causou deve ser ocorrer ao mesmo passo que o emagrecimento do cão. As que citamos acima são as mais comuns, mas não as únicas. Tratando os problemas decorrentes do sobrepeso, você vai ajudar seu amado cãozinho a recuperar a boa forma de todas as formas possíveis.

O mais legal desse processo todo é que, além de ajudar seu bebê canino, você e ele vão criar laços mais fortes e positivos! Desenvolver um estilo de vida muito mais divertido e gostoso para vocês dois também aumenta a quantidade de amor que vocês dividem.


Dica da Vet:

Se o seu cãozinho é guloso e come muito quando você sai de casa, você pode oferecer uma refeição divertida, que tal? Ao invés de servir a ração no pote habitual, pegue uma garrafa pet faça vários furos um pouco maiores que o grão da ração, de forma que a ração consiga sair de dentro com alguma dificuldade. Assim ele terá que brincar e rolar bastante com a garrafa para conseguir comer a refeição. Dessa forma ele se distrai por um tempo e ainda gasta algumas calorias com a brincadeira! Já existem brinquedos prontos próprios para isso, você encontra em lojas de produtos para cachorro.

Obesidade canina: o que faço para ele perder peso? Veja a dica da veterinária DogHero!

Instagram @kanyepug

Veja também:

– Briga entre cães: 7 dicas para reconciliar os peludos

– A família vai aumentar? Veja como integrar crianças, bebês e cães