Pela DogHero você também pode ser um Anfitrião de gatos. Conheça um pouco mais sobre eles e os principais cuidados que você deve ter!

Além de receber e cuidar de cãezinhos, pela DogHero você também pode oferecer hospedagem para gatos. Já pensou nessa ideia? No próprio aplicativo você pode dizer se hospeda gatos. Já pelo lado do cliente há o filtro de busca “Hospeda gatos”, para localizar os Anfitriões que aceitam cuidar dos bichanos.

Antes de tomar essa decisão, é importante saber como é hospedar um gatinho e as principais diferenças nos cuidados de cães e gatos.

Assim como os cães, os gatos também são animais selvagens que com o passar do tempo foram domesticados e hoje fazem parte de milhares de lares pelo mundo. No geral, gatos adultos têm aproximadamente 45 centímetros de comprimento (não contando a cauda), entre 23 e 25 centímetros de altura, e o peso varia entre 3 e 5kg.

Na DogHero os Anfitriões também podem oferecer hospedagem para gatos

Um hábito curioso dos gatos é que eles têm o costume de se esfregarem em tudo, de objetos a humanos. Mas fique tranquilo, esse gesto significa que o gatinho gosta daquele objeto (ou daquela pessoa). Essa é uma forma deles “marcarem” o que gostam: esfregando o pescoço nelas. O pescoço é onde ficam as glândulas com o cheiro do gato e, ao esfregá-lo, ele deixa seu próprio cheiro ali, uma espécie de marcação de território.

O mais importante é saber que cuidar de um gato não é a mesma coisa que cuidar de um cachorro. Por serem de espécies diferentes, eles possuem hábitos e costumes diferentes também, além de exigirem outros tipos de cuidados.

Comportamento

Diferente do que muitos dizem, os gatos são animais extremamente carinhosos e apegados aos seus tutores, além de terem muita personalidade. Mesmo assim, são mais discretos que os cachorros: não costumam correr, pular e vocalizar (emitir sons) com tanta frequência.

Além disso, gatos são animais de hábitos noturnos, o que faz com que passem boa parte do dia dormindo e, à noite, queiram brincar, circular pela casa e interagir com os moradores. Por isso, é comum que o gato “se esconda” durante o dia e não fique tão próximo à pessoas como os cães fazem.

Brincadeiras

As brincadeiras dos gatos também são diferentes das brincadeiras dos cães. Gatos gostam de brincar de caçar (insetos, pequenos roedores e qualquer outra coisa que se movimente e que esteja ao alcance deles). Eles passam algum tempo observando (estudando a presa) e, depois, a “atacam”.

Outra forma de se divertirem é arranhando e mordendo pessoas. Parece estranho e talvez até agressivo, mas é assim que eles brincam entre eles. E com humanos é a mesma coisa. Então, tome cuidado para não se machucar. Gatos não entendem que humanos não têm uma pelagem para se protegerem nessas brincadeiras e eles podem acabar machucando você.

Para entretê-lo, use bolinhas de papel ou de jornal. Eles adoram e passam um bom tempo empenhados na atividade de empurrá-las e jogá-las para todos os lados.

Higiene dos gatos

A higiene dos gatos é bem diferente da dos cães, começando pelos banhos. No geral, gatos não gostam de tomar banho. Na verdade, eles até gostam, mas não daquele banho convencional que damos nos cachorros. Eles mesmo dão conta de se limparem através das lambidas. Então, é comum ver gatos se lambendo por um tempo e em diversas partes do corpo – esse é o banho deles.

Antes de oferecer hospedagem para gatos é importante conhecer os felinos e os cuidados que devemos ter com eles.

Outro detalhe importante é que os gatos fazem xixi e cocô em uma caixa de areia, o que torna tudo mais simples. Algumas areias, quando em contato com líquidos (urina) formam pelotas, facilitando a remoção dos dejetos e a limpeza da caixa. É só não esquecer de manter a areia sempre limpa. Gatos não gostam de ambientes sujos e se a areia não estiver em ordem, eles podem fazer as necessidades em outros lugares.

Preparando a casa para hospedar um gato

Como você já viu, cuidar de um gato é bem diferente de cuidar de um cachorro. Isso envolve, também, a organização do espaço. Gatos tendem a ser mais mais aventureiros até mesmo dentro de casa: sobem em todos os móveis que você imaginar e gostam muito de observar o movimento da rua através de janelas e varandas.

Por isso, se você pretende hospedar gatos e mora em apartamento é essencial que as janelas e a varanda sejam teladas. Eles podem se desequilibrar e acabar caindo. Então, até mesmo com os felinos, todo cuidado é pouco!

Se você mora em casa é importante ter certeza que na sua residência não há rotas de fugas para a rua. Por estar num ambiente e numa região que não conhece, o gatinho hóspede pode escapar, se machucar e até mesmo não achar o caminho de volta.

Falando em fugas, alguns gatos são super apegados ao espaço físico. Ficar hospedado em outra casa pode ser extremamente estressante e estimulá-lo a fugir para voltar para a casa dele. Então, antes de aceitar a hospedagem de um gatinho, tenha certeza de que ele não terá, de nenhuma maneira, acesso à rua.

É essencial que você remova objetos de estantes, bancadas e prateleiras. Eles gostam de ficar nas alturas e, eventualmente, podem derrubar coisas que estão sobre superfícies – é uma forma deles se divertirem. E aqui vai mais uma dica para decidir se você realmente pode hospedar um gato: eles sobem em tu-do. Se isso não te agrada, é melhor ficar só com os cachorrinhos mesmo.

Dica de ouro: gatos adoram afiar as unhas, e vão fazer isso na primeira oportunidade, seja no seu colchão, no batente da porta ou no estofado do seu sofá. Por isso, é interessante cobrir essas superfícies com uma manta, por exemplo, ou ter em casa arranhadores de gato. Vale até deixar uma caixa de papelão pela casa. O papelão é um ótimo lugar para eles afiarem as unhas, além deles gostarem muito de tirar um cochilo em caixas.

Relação entre cães e gatos

Se você tem seu próprio cãozinho ou terá hóspedes caninos vale a pena repensar a estadia do gatinho na sua casa. A história de que cães e gatos não se dão bem não é uma verdade absoluta. Muitos, inclusive, vivem na mesma casa, convivem diariamente e se relacionam super bem. Porém, assim como entre um cachorro e outro, pode ser que o gatinho hóspede não aceite um cachorro e vice-versa, principalmente se algum dos lados nunca tiver convivido com o outro.

Gatos podem conviver bem com cachorros, inclusive em hospedagens

Então, não force essa aproximação. Neste caso, vale conversar com o tutor dos hóspedes e checar como é a relação deles com animais de outra espécie. Tenha certeza de que tudo ocorre bem antes de expor seus hóspedes a qualquer tipo de stress ou brigas.

E, assim como para os hóspedes caninos, três regras se mantém para os felinos:

  1. Vacinas

É essencial que, antes de aceitar a hospedagem, você cheque se o gato está com todas as vacinas em dia, além do vermífugo e do antiparasitas.

  1. Rotina

Se receber um gato hóspede, siga à risca as orientações do tutor dele: local de dormir, tipo de alimentação, horários e quantidade, brincadeiras, restrições, etc. Isso fará toda a diferença na ambientação no gatinho na sua casa e no sucesso da hospedagem.

  1. Coleira de identificação

Para os hóspedes felinos você também deve se certificar que eles tenham, junto à coleira, a plaquinha de identificação. Como já falamos, gatos tendem a ser mais apegados à casa deles. Durante a hospedagem eles podem tentar fugir e, caso aconteça, será mais fácil encontrá-lo se ele estiver devidamente identificado.

E aí, gostou? Acha que dá conta de hospedar um felino? Então siga as nossas dicas e atualize suas preferências na edição de perfil, indicando que você pode receber gatinhos em casa. Assim como os cães, os gatos também serão uma ótima companhia para você!