berne-em-cachorro

O que é?

O berne em cachorro, que responde pelo nome técnico de miíase furuncular, é causado pela larva da mosca-varejeira, ou berneira. Ela coloca seus ovos em moscas comuns que vão transmiti-los a animais. Ovos que, depois de 7 dias, vão eclodir e se transformar larvas. Ao final de 40 dias, o ciclo se completa e a larva cai da pele do cachorro, vira pupa (algo parecido com o casulo da borboleta) e sai voando.

É importante notar a diferença entre o berne em cachorro e a bicheira em cães. A miíase – seu nome técnico – ocorre por larvas de outro tipo de mosca, que ficam na pele e também invadem tecidos do corpo do cachorro, e por isso costuma ser mais grave. As moscas responsáveis pela bicheira preferem tecidos lesionados, ou seja, com feridas, ambientes quentes, e se desenvolvem muito mais rápido.

Sintomas

Ao entrar no embaixo da pele, no tecido subcutâneo, a larva vai deixar um buraco na pele do cachorro. Conforme a larva se desenvolve, o buraco pode ficar maior. A área afetada também pode apresentar inchaço e, se houver inflamação, pus. Quanto ao comportamento do cachorro, repare se ele não está se coçando ou se lambendo demais, o que também ajuda a identificar o problema.

Quanto maior for a larva, mais desconforto seu cachorro vai sentir e mais preocupante é o problema. A larva do berne em cachorro pode chegar a 8 vezes o seu tamanho após a saída do ovo. Esse crescimento pode levar até 40 dias, que é basicamente o tempo durante o qual seu cachorro pode sofrer de berne.

Outra coisa em que você deve prestar atenção para identificar o problema é o local afetado pela entrada da larva. O berne em cachorro também pode apresentar um buraco com um inchaço ao redor, muitas vezes com a ponta esbranquiçada, que é a larva saindo para respirar.

Causas

Transmissão e causas do berne em cachorro

O berne em cachorro não é transmitido de um infectado para outro. A transmissão é feita pela mosca. Infelizmente, o inseto não faz distinção entre mamíferos e, portanto, você também pode ser acometido. Por isso é bom manter as moscas longe não só do seu cachorro, mas de você!

Isso porque quando os ovos botados pela mosca-varejeira eclodem, as larvas vão penetrar na pele do animal até se alojarem no tecido subcutâneo, embaixo da pele. É mais comum que elas atinjam essa camada mais profunda da pele se entrarem por feridas abertas, o que facilita o trabalho delas. Mas também há casos de entrada em pele sã, pelo folículo piloso – por onde sai o pelo.

Essa larva não se aprofunda na pele no animal, apenas se aloja no tecido subcutâneo e por ali permanece durante seu ciclo, tanto quanto para se alimentar do tecido para se desenvolver. Embora ao completar seu ciclo e se tornar mosca ela deixe o local da infestação e voe para fora da pele, não espere que isso aconteça. Esse tempo pode ser angustiante para o cachorro: ele pode durar até 40 dias e a larva possui um corpo espinhado que causa dor e desconforto no pet quando ele se movimenta.

Cães que vivem em fazendas devem receber ainda mais atenção e cuidado. O berne em cachorro e outros animais é mais comum em ambientes rurais do que urbanos, por isso é importante ficar atento.

Mas se você estiver se perguntando como tirar sozinho o berne em cachorro, pense de novo e saiba mais sobre os tratamentos recomendados por veterinários.

Tratamento e Prevenção

Diagnóstico e tratamento para berne em cachorro

O berne em cachorro é fácil de diagnosticar e um simples exame físico pode ser suficiente. Em alguns casos, é possível que o veterinário peça exames de pele adicionais para descartar a presença de outros parasitas. Ao identificar o berne em cachorro, ele vai indicar o uso de um medicamentos orais ou injetáveis, medicamentos para a lesão (pomada ou spray) e para matar a larva na pele do cachorro – e depois removê-la.

Após o período de aplicação do medicamento, o cachorro deve voltar para que o parasita seja removido. O profissional é o mais recomendado para a tarefa, pois ele sabe remover as larvas por completo e evitar que pedaços delas fiquem lá dentro. Para fazer esse procedimento, ele pode optar por espremer o local, mas também pode ser necessário o uso de uma pinça cirúrgica, de acordo com o tamanho que a larva atingiu. Em alguns casos, a remoção pode ser muito dolorosa e exigir que o animal seja sedado.

Depois disso, é muito importante ficar de olho na ferida aberta pela larva, fazer a higienização e a manutenção até que ela cicatrize, e pronto! Cachorro saudável novamente.

Como tirar berne de cachorro

Sabemos que a criatividade brasileira não tem limites e que a gambiarra é incorporada à sabedoria popular. No caso do berne em cachorro, essa gambiarra tomou a forma de: bacon! Ou toucinho, se você preferir.

Acreditava-se antigamente que o bacon, ou o toucinho, fazia com que as larvas sentissem o cheirinho e saíssem para fazer uma refeição! E até que funcionava, mas não pelo que os antigos acreditavam. A verdade é que quando o pedaço de carne é colocado sobre o buraco, a entrada de ar é impedida. Como a larva precisa respirar, ela sai e começa a roer o pedaço de carne para que o ar volte a entrar.

Nessa hora você vai se sentir tentado a puxá-la, mas segure-se. Lembra daqueles espinhos de que falamos? Então, esse espinho faz com que o berne em cachorro fique bem preso na pele. Isso pode fazer com que, ao tentar tirá-la, seu corpo se parta, e pedaços do parasita permaneçam – o que pode causar uma inflamação e infeccionar. Então lembre-se de seguir as recomendações do seu veterinário e deixe que ele tire as larvas do cachorro do jeito correto.

Como prevenir berne em cachorro

Como o berne em cachorro é causado pelos ovos da mosca-varejeira depositados na pele do cão, as medidas preventivas consistem basicamente em mantê-lo longe delas. Ou melhor, manter as moscas longe da sua casa. O desafio é que muitas vezes elas não são vistas no ambiente. Para isso, mantenha a limpeza em dia, se possível diariamente, e evite acúmulo de lixo orgânico. Lembre-se também de recolher as fezes do animal com frequência. E, se sua casa tiver jardim, apare a grama regularmente.

Você também pode fazer a pulverização de produtos químicos em áreas consideradas focos de criação das moscas. Mas essa opção deve ser analisada com cautela, pois o cachorro pode apresentar intoxicação e alergias.

Outra alternativa é usar coleiras com repelentes para manter as moscas longe. Esses acessórios também previnem contra carrapatos e pulgas, que causam tantos outros problemas, como a doença do carrapato, e por isso são tão importantes. Isso deve ser conversado com seu veterinário para garantir que o animal não tem nenhuma alergia a algum composto.

Há, ainda, medicamentos de uso oral antiparasitários contra carrapatos e pulgas e que também ajudam a evitar moscas. Mas antes de usar qualquer medicamento, consulte seu veterinário, que sabe a melhor abordagem para seu animal.

E atenção: cachorros de pelo claro têm menos chances de serem acometidos por berne. Isso se deve à preferência da mosca doméstica pelos cães com pelos escuros. Melhor ficar de olho, né?

Gostou do artigo? Então confira como eliminar carrapato de cachorro e manter o ambiente livre deles.

Gostou? Compartilhe!

Deixe o seu comentário