Uma primeiras cadelas de terapia, a yorkie ajudou soldados em recuperação na Segunda Guerra Mundial e participou de missões de resgate.

A história da Smoky com o Exército americano começou quando um soldado a encontrou sozinha em uma floresta na Papua Nova Guiné, durante a Segunda Guerra Mundial. Ele a levou para o acampamento onde ele ficava, e lá foi adotada pelo cabo William Wynne.

2

Reprodução The Yorkie Times

Wynne percebeu que Smoky era muito ágil e esperta, além de aprender rapidamente o que ele ensinava a ela. A partir disso, o cabo passou a levar a pequena yorkie junto com ele a todos os lugares onde precisava ir, e fazia questão de levá-la a hospitais para que Smoky fizesse companhia a soldados feridos e os ajudasse na recuperação.

1

Reprodução The Yorkie Times

A pequena também realizou outros grandes feitos durante o período em que esteve na guerra com Wynne, como ter feito a passagem de um fio de telégrafo por um cano de 20 centímetros de diâmetro debaixo da terra e ter participado de mais de 10 missões de resgate. Depois que a Segunda Guerra terminou, Smoky voltou aos Estados Unidos com seu dono, e foi muitas vezes homenageada pela população por ter sido de grande importância aos soldados.

Smoky viajou o país inteiro conhecendo os fãs que fez e fazendo apresentações das habilidades que tinha. Ela faleceu aos 14 anos de idade, depois de ter vivido uma vida longa e muito feliz ao lado de Wynne.

3

Reprodução NJ Pet Community

Fonte: The Yorkie Times e NJ Pet Community.

Fã de yorkies? Leia mais sobre eles:
20 raças de cachorro mais populares do Brasil
Os 14 yorkies mais fofos do Instagram
Yorkshire: amoroso, corajoso e cheio de personalidade