De repente, seus cães passaram a se estranhar? A veterinária DogHero dá dicas do que fazer para que eles façam as pazes.

Por Aretha Yarak
Especial Blog DogHero 

Você sabia que as brigas podem acontecer por uma infinidade de motivos? Os mais comuns são posse (do dono, de comida ou de algum objeto) e estresse, que pode ser causado pela falta de socialização, de espaço, de interação com o dono e de atividade física.

Na maioria das vezes, é até possível identificar que uma briga vai começar e correr para evita-la. Mas, quando a situação foge do controle, nossa primeira solução costuma ser isolar os cães, para evitar que eles se machuquem ainda mais.

Mas você sabia que o isolamento, em alguns casos, tende a só piorar o quadro? Isso ocorre especialmente se as brigas são causadas por disputas de território. É que eles continuam a sentir o cheiro um do outro e poderão ficar obsessivos pelo conflito.

Reforço positivo

A melhor maneira de retomar a amizade dos animais é abusar do reforço positivo. Associar a presença do outro com algo muito positivo (como um petisco extremamente saboroso) tem sido a principal aposta de treinadores profissionais e de veterinários especialistas em comportamento.

É claro que não existe uma fórmula mágica ou padronizada para refazer a amizade ou melhorar a tolerância entre esses cães. O primeiro passo, entretanto, será sempre o de identificar o que leva à briga, e minimizar isso. Se for um brinquedo, por exemplo, é recomendado removê-lo do ambiente. Caso seja comida, uma dica é alimentar os cães em locais separados.

Separamos algumas dicas que podem auxiliar a recuperar o bom convívio entre os animais. Se precisar de ajuda, não deixe de conversar com seu veterinário ou com um adestrador profissional.

Briga entre cães: confira dicas e técnicas

1. Descubra o gatilho

Identifique o gatilho das brigas. Os motivos podem ser vários: disputa por comida, pela atenção do dono, por brinquedos, território ou até mesmo por estresse. Sabendo a causa das brigas, fica mais fácil modificar o ambiente e diminuir as chances de novos confrontos. Isso é muito importante, porque quanto mais os cães brigam, maior será a tensão entre eles. E conforme vão ficando “melhores” nas brigas, mais difícil será para eliminar esse comportamento.

2. Coloque-os para gastar energia

Mantenha uma agenda regrada de exercícios diários com os cães juntos, um do lado do outro. É fundamental que a atividade seja suficiente para drenar a energia deles e que você dê atenção de forma igual a todos.

3. Ponha limites

Treinos de obediência e imposição de regras e limites são dois pilares fundamentais para o bom comportamento. Desse modo, você consegue ter o controle da situação e eles compreendem claramente como se comportar. Esse tipo de treino exige bastante paciência e (muita!) consistência. Se não se sentir preparado para isso, procure a ajuda de um adestrador profissional;

4. Faça associação positiva

É importantíssimo que você sempre associe a presença do outro cão a algo positivo. Não incentive disputas – inclusive por ciúmes do dono. Se possível, o ensine um novo comportamento frente àquele agressor;

5. Aplique a técnica

Uma boa técnica para reaproximar os animais é a seguinte: separe-os, ambos na coleira, com a guia curta e cada um controlado por uma pessoa – elas devem ficar lado-a-lado a uns três passos de distância, mantendo os cães nas laterais opostas.

A ideia é mantê-los perto um do outro sem que fiquem se encarando. Sempre que estiverem calmos, sem rosnar ou se importar com o outro, ofereça petiscos e palavras de incentivo para frisar que a companhia do outro é positiva. Após alguns minutos fazendo esse exercício é possível caminhar com eles lado a lado, mantendo a mesma conduta de não deixar eles se olharem fixamente, até que a presença do outro cão não seja mais um incômodo.

O próximo passo é colocar um para cheirar o bumbum do outro. Segure a guia curta para que não briguem e ofereça petiscos para aquele que está sendo cheirado. Quando os animais estiverem à vontade com esses exercícios, tente deixá-los com a guia frouxa. Permita que eles se aproximem um do outro e se movam mais naturalmente. Faça isso apenas se sentir seguro.

Quando achar que estão prontos, coloque os cães para fazer atividades juntos: brincadeiras, passeios, natação. É importante que esse treino seja feito com muita segurança e consistência. Às vezes, essa aproximação pode levar semanas e, em alguns casos, é necessário contar com um profissional para guiar o processo.

6. Atenção à saúde

Mudanças bruscas de comportamento nos cães, como ficar mais irritadiço, podem significar problemas de saúde. Cães com dor, por exemplo, tendem a ficar menos tolerantes à aproximação. Nesses casos, é fundamental a visita a um veterinário.

7. Castração

A castração pode ser uma boa opção para cães que brigam por disputa de território (machos) ou por cio (fêmeas).

Fontes: veterinária DogHero Ingrid Stein, Whole Dog Journal, Cão Cidadão, Royal Canin, Cesar’s Way e Pet Helpful.