A hora da medicação pode não ser tão fácil. Confira algumas dicas para tornar esse momento mais tranquilo!


Ninguém gosta de ver seu cãozinho doente! Mas em algumas situações é inevitável e precisamos recorrer ao auxílio de medicamentos por um período ou, em alguns casos, ao longo da vida do peludo.

Quando um tratamento indicado pelo veterinário envolve medicação, muitos pais e mães de cachorro sentem aquele friozinho na barriga. Isso acontece porque dar remédio ao seu cachorro pode ser mesmo um desafio, especialmente quando ele já apresenta um comportamento agressivo. Veja algumas alternativas para facilitar a tarefa:

Faça o remédio parecer um petisco

Essa é uma das maneiras mais simples de dar remédio ao seu cãozinho! Se o medicamento for um comprimido, experimente jogá-lo para o peludo como se fosse um petisco ou deixá-lo cheirar a cápsula na sua mão. Muitos cães apressadinhos podem cair nessa! A vantagem é que eles nem percebem que acabaram de tomar um remédio, e você pode dar um petisco de verdade como recompensa. Mas a técnica dificilmente vai funcionar nos casos em que o peludo precisa da medicação por um período longo. Nessas situações, há outras alternativas que podem ajudar.

Use a hora da comida

A hora da ração também é uma ótima oportunidade pra dar remédio ao pet. Você pode experimentar misturá-lo aos grãos ou até mesmo fazer um patê de ração. Pra isso, molhe os grãos até que consiga transformá-los em um bolo só e, em seguida, coloque o comprimido dentro.

Envolva o medicamento em uma fruta

Se as tentativas de fazer o remédio parecer petisco ou misturá-lo na ração não funcionarem, envolvê-lo em alguma gostosura pode tornar o comprimido mais atrativo! As frutas, além de serem adoradas por muitos cãezinhos, são grandes aliadas porque não apresentam riscos para os peludos que as ingerem, diferente de outros alimentos. A banana, por exemplo, é uma ótima opção porque sua textura permite que o remédio seja colocado sem grande esforço.

Posso usar salsicha, pão ou outros petiscos humanos?

O ideal é não usar alimentos humanos altamente processados. Esses petiscos podem ser saborosos, mas contêm muita gordura, sal, conservantes e condimentos que não são recomendados para animais. Se o cão for agressivo, não tiver intolerância a esses alimentos e não permitir outra alternativa, você pode usá-los em pequena quantidade e com muita cautela. Fique atento a vômitos e mal-estares após a ingestão do remédio e do petisco.

E se o remédio for líquido?

Não tem jeito: quando o medicamento é líquido, a tarefa pode ser um pouquinho mais complicada. A maneira mais fácil é usar uma seringa e inseri-la o máximo possível pela lateral da boca do cãozinho, entre os dentes e a gengiva, sempre com cuidado para não machucar nem fazer o cachorro engasgar, e sem deixar que cuspa o remédio. Fechar a boca do cão e soprar no focinho faz com que ele queira lamber o nariz e, em seguida, faça o movimento de engolir a saliva, o que ajuda a fazê-lo engolir a medicação.

E se nada disso der certo?

Se driblar a atenção do cachorro para que ele não perceba a medicação não funcionar, fazer o cãozinho engolir o comprimido é a única opção que resta. Pra isso, é preciso ter certeza de que o cão não é agressivo, pois você terá que colocar a mão na boca dele e inserir o comprimido. Logo depois de colocar a medicação no fundo da boca, feche-a e faça uma massagem no pescoço para estimular a deglutição.

Isso pode incomodar o cãozinho, que pode apresentar até uma tosse. Mas fique tranquilo: isso costuma passar rápido e ele em seguida volta ao normal. Tenha cuidado ao segurar o peludo para não assustá-lo e sempre seja carinhoso antes e depois da medicação, para que ele não entenda o processo como punição. Lembre-se de que com paciência e carinho tudo fica mais fácil!

 

Dicas da Vet

  • Alguns comprimidos e cápsulas começam a dissolver rápido em contato com a saliva ou alimento úmido. Nesses casos você deve agir rápido caso o cão perceba a medicação e cuspa ela. O ideal é que tenha sempre um comprimido reserva, pois, caso o remédio se dissolva antes de ser engolido, ele deve ser jogado fora, porque a dose adequada àquele cãozinho pode ter sido perdida e o efeito da medicação pode ser prejudicado.
  • Se você já sabe que o seu cãozinho é um bom detector de comprimidos e sempre os cospe, é melhor partir direto para a alternativa mais invasiva. Assim você tem a garantia de que ele vai tomar a medicação, sem correr o risco de perdê-la.
  • Alguns cães regurgitam a medicação minutos depois da ingestão. Fique atento! Nesses casos, o veterinário deve ser consultado para saber como agir.

Fonte: veterinária DogHero Ingrid Stein